River Plate e Kashima Antlers disputam o terceiro lugar do Mundial de Clubes

Uma partida que ninguém gostaria de jogar, mas que virou a realidade para River Plate e Kashima Antlers no Mundial…


Uma partida que ninguém gostaria de jogar, mas que virou a realidade para River Plate e Kashima Antlers no Mundial de Clubes da Fifa. Derrotados nas semifinais, os times da Argentina e do Japão, respectivamente, têm de encarar a disputa pelo terceiro lugar da competição realizada neste ano nos Emirados Árabes Unidos. O duelo, neste sábado, será às 11h30 (de Brasília), no Zayed Sports City Stadium, em Abu Dabi.

A eliminação na semifinal, sofrida diante do azarão Al Ain na última terça-feira, ainda dói para o River Plate. Isso ficou claro na entrevista coletiva que o técnico Marcelo Gallardo concedeu nesta sexta-feira. Embora o foco seja buscar uma vitória como um consolo, o treinador e os seus jogadores já estão ansiosos pela festa que ocorrerá neste domingo, no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, que será aberto para os torcedores comemorarem o título da Copa Libertadores, obtido em uma final histórica contra o arquirrival Boca Juniors.

“Já não vemos a hora de voltar a Buenos Aires, desfrutar do que conseguimos, que foi incrível, e tirarmos umas curtas férias para descansar e pensar em 2019”, afirmou o comandante, que em seguida lembrou que ele e o time ainda não puderam celebrar, na Argentina, o título continental, pois o confronto de volta da decisão contra o Boca Juniors foi realizada em Madri, de onde a equipe viajou direto para os Emirados Árabes Unidos.

“Não pudemos medir a alegria e a felicidade para o nosso povo e os nossos torcedores. O que nos chegou do que havia sido a Argentina no dia da conquista da Libertadores foi muito forte e ainda não vivemos isso. Nós vamos viver no domingo quando chegarmos”, reforçou o treinador.

O comandante argentino destacou que o Kashima Antlers já esteve presente em outras edições do Mundial, do qual chegou a ser vice-campeão em 2016 ao perder para o Real Madrid na decisão. “Sabemos que é um time com experiência nesta competição, não é a primeira vez que a disputa. Há dois anos fez um grande jogo contra o rival contra o qual jogou há dois dias. Os times japoneses cresceram muito. O futebol japonês evoluiu e tem o meu respeito”, ressaltou.

MOTIVADOS – A derrota na semifinal para o Real Madrid por 3 a 1, na última quarta-feira, não estava nos planos, mas os jogadores do Kashima Antlers garantem que estão motivados para buscar o terceiro lugar. É o que garante o zagueiro brasileiro Leo Silva, de 32 anos, um dos destaques da equipe japonesa.

“Nós ainda podemos conseguir alguma coisa especial, tem um bom encerramento”, disse o defensor em entrevista ao site oficial da Fifa. “Penso que o time merece terminar em terceiro lugar e é isso que estamos dispostos a fazer”, completou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora