Richard cutuca Palmeiras e prevê briga ‘sadia’ com Gabriel e Ralf no Corinthians

Há um ano e meio o volante Richard atuava pelo Atibaia. E, por pouco, não trocou a profissão de jogador…


Há um ano e meio o volante Richard atuava pelo Atibaia. E, por pouco, não trocou a profissão de jogador de futebol pela de carregador de caminhão. Apresentado nesta sexta-feira como um dos reforços do Corinthians para 2019, o volante de 24 anos e 1,91 metro, disse realizar o sonho de vestir a camisa alvinegra.

“A torcida não vai precisar me pedir raça. O meu sentimento será igual ao deles após uma derrota ou eliminação. É uma oportunidade de ouro estar aqui. Vou dar minha vida em campo. É um privilégio jogar por este clube”, disse o jogador, que veio do Fluminense.

No Brasileiro do ano passado, Richard fez o gol do tricolor carioca na derrota para o Corinthians na Arena, em São Paulo. “Foi o meu primeiro gol pelo Fluminense, no meu primeiro jogo pelo Brasileiro, diante do meu time do coração. Foi muito especial para mim. Eu me emocionei muito e por isso nem comemorei.”

Richard lembrou que festejou muito a conquista da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes, em 2012, quando ainda era jogador do Comercial, de Ribeirão Preto. “Foi muito legal festejar com amigos palmeirenses, que não tinham um [título de] Mundial, sempre de uma forma muito sadia.”

Richard vai enfrentar outra “briga sadia” pela posição de titular da equipe, diante de Gabriel e Ralf. “Eu vim para jogar, mas sempre com, muito respeito com meus colegas de posição”, afirmou o jogador, que poderá atuar como primeiro ou segundo volante. “Quando cheguei no Fluminense o Abel Braga me colocou como primeiro volante, mas o Marcelo Oliveira me utilizou um pouco mais avançado. Para mim, tanto faz.”

Como torcedor, Richard mostrou saber que jogar pelo time de Parque São Jorge é conviver com a pressão. “O Corinthians vive de títulos. O objetivo inicial é o Campeonato Paulista. Depois virão os outros campeonatos. Temos de pensar degrau a degrau.”

A badalação por ter sido contratado por um grande clube parece não mexer com a cabeça de Richard. “Sou uma pessoa muito tranquila. Moro sozinho e estou rodeado de pessoas que querem o meu bem. Estou focado e, com o tempo, as coisas vão da certo.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!