Responsável por contratar Roberto Carlos, ex-presidente do Real morre de covid-19

Sob a gestão de Sanz, o Real Madrid conquistou sete títulos, entre eles, a tão cobiçada Liga dos Campeões após um jejum de 32 anos


Presidente do Real Madrid entre 1995 e 2000, Lorenzo Sanz morreu neste sábado vítima do novo coronavírus, na Espanha. Um dos mais vitoriosos dirigentes da história do clube madrilenho, Sanz tinha 76 anos. À frente do clube, foi o responsável pela contratação de grandes estrelas, como o lateral brasileiro Roberto Carlos.

“Acaba de falecer o meu pai. Não merecia este fim, e desta maneira. Perdemos uma das pessoas mais bondosas, valentes e trabalhadoras que vi em minha vida. Sua família e o Real Madrid eram sua paixão. Minha mãe e meus irmãos pudemos desfrutar de todos os momentos de sua vida com orgulho”, disse nas redes sociais o filho Lorenzo.

Em comunicado, a diretoria do Real lembrou os feitos do ex-dirigente. “Durante a presidência de Lorenzo Sanz, o Real Madrid seguiu engrandecendo sua história e sua lenda. Foi o presidente que conquistou, 32 anos depois, o tão aguardado sétimo título da Liga dos Campeões, em Amsterdã, em 1998.”

Sob a gestão de Sanz, o Real obteve ainda outro título da Liga dos Campeões, um do Campeonato Espanhol, uma Supercopa da Espanha, um Mundial de Clubes, uma Liga e uma Recopa Europeia de Basquete.

Para tanto, o então presidente investiu pesado em reforços no futebol. Sua maior aposta, bem-sucedida, foi a contratação do lateral-esquerdo Roberto Carlos, então vindo da Inter de Milão após brilhar pelo Palmeiras e pela seleção brasileira. Também contratou Seedorf, Suker e Mijatovic, formando elenco precioso ao lado de jogadores como Hierro e Raúl.

A atual direção do Real anunciou estar de luto. “Dadas as circunstâncias atuais, o Real Madrid renderá homenagens o quanto seja possível em reconhecimento que ele merece.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora