Quarteto do Rio Branco será julgado pelo TJD-SP na segunda

Expulsos na partida de domingo, Kayo, Maranhão, Thiago e William podem ser punidos pelo Tribunal de Justiça Desportiva


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Volante tem situação complicada e pode pegar suspensão de 15 jogos

Quatro jogadores do Rio Branco serão julgados pelo TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo) na próxima segunda-feira. São eles os volantes Kayo e Maranhão, o zagueiro William e o atacante Thiago.

Eles receberam cartão vermelho no último domingo, quando o Tigre perdeu por 3 a 0 para o Fernandópolis, fora de casa. O resultado eliminou a equipe americanense do Campeonato Paulista Sub-23 Segunda Divisão. O Tribunal vai analisar as condutas que motivaram as expulsões. A pior situação é a de Maranhão, que pode ser suspenso por até 15 jogos.

Conforme consta na súmula, ele saiu do banco de reservas, invadiu o campo e atingiu com um soco o rosto do volante Jackson, do Fernandópolis. A ocorrência foi registrada aos 16 minutos do segundo tempo, quando a partida estava paralisada em razão de um tumulto generalizado.

Maranhão está enquadrado em dois artigos do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva): no 254-A, que trata de agressão e prevê gancho de quatro a 12 partidas, e no 258-B, que cita invasão e gera suspensão de um a três jogos.

No caso de Thiago, há a possibilidade, inclusive, de uma multa. O árbitro Marcio Henrique de Gois relatou que foi xingado pelo atacante aos 40 minutos do segundo tempo.

O jogador, então, responde pelo artigo 243-F, que fala em “ofender alguém em sua honra”. As penas são gancho de uma a seis partidas e pagamento de R$ 100 a R$ 100 mil.

Kayo e William, por outro lado, estão inseridos no artigo 250, adequado para expulsões que não fogem da “normalidade”. O trecho sugere suspensão de um a três jogos para quem “praticar ato desleal ou hostil durante a partida”.

DEFESA. Mesmo eliminado da Segunda Divisão, o Rio Branco fará a defesa dos atletas, que têm contrato com o clube até novembro. “Terei de ver caso a caso, conforme o interesse de cada atleta, e aí trabalhar em cima de cada enquadramento”, disse o advogado Éder Duarte.

Dos quatro jogadores, apenas Kayo não pode defender o Tigre na próxima temporada, porque estará acima de 23 anos, limite máximo para a disputa da Segunda Divisão.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora