Morre Antônio Calçada, ex-presidente do Vasco


O ex-presidente do Vasco Antônio Soares Calçada morreu nesta segunda-feira, aos 96 anos, no Rio, vítima de complicações provocadas por uma infecção abdominal. O dirigente, que foi o mais vitorioso mandatário da história do clube, estava internado desde o último dia 10 de julho em um hospital na Barra da Tijuca, zona oeste da capital fluminense.

Calçada foi presidente vascaíno entre 1983 e 2000, período em que o clube conquistou 12 títulos, sendo um deles o da Copa Libertadores de 1998. Ao longo de 18 anos de sua gestão, a equipe cruzmaltina também faturou a Copa Mercosul de 2000, ganhou por três vezes o Brasileirão, em 1989, 1997 e 2000, ergueu seis troféus do Campeonato Carioca, em 1987, 1988, 1992, 1993, 1994 e 1998, e ainda levantou uma taça do Torneio Rio-São Paulo, em 1999.

O dirigente se tornou presidente de honra do Vasco após deixar de ser o principal cartola do clube e chegou a ser candidato a vice-presidente na eleição de 2017, quando fez parte da chapa do candidato Julio Brant, que acabou sendo derrotado por Alexandre Campello, atual mandatário vascaíno.

Por meio de nota publicada em seu site oficial na manhã desta segunda-feira, o Vasco destacou que “lamenta profundamente o falecimento” de Calçada e exaltou a trajetória do seu ex-dirigente.

“Nascido em Portugal no dia 16 de abril de 1923, Calçada chegou ao Brasil em 1935 e em 1942 ingressou no quadro social do clube. Foi eleito conselheiro em 1948 e, já em 1950, assumiu seu primeiro cargo dentro do Vasco: diretor de tênis de mesa. Quatro anos depois, passou a ocupar a vice-presidência de futebol, percorrendo tal cargo nas gestões de José da Silva Rocha, Manoel Joaquim Lopes e Alberto Pires Ribeiro”, relembrou o clube de São Januário, para depois também enfatizar que o ex-cartola foi quem ficou por mais tempo como presidente na história do clube.

“Os inúmeros títulos conquistados com Calçada à frente da presidência não se restringiram somente ao gramado, com o Gigante da Colina tendo conquistado o bicampeonato da Liga Sul-Americana de Basquete (1998 e 1999) e o tricampeonato estadual de remo (1998, 1999, 2000)”, continuou a nota, que em seguida ressaltou que, em 2011, o ex-dirigente foi homenageado pelo então presidente e ídolo histórico do clube, Roberto Dinamite, com o seu nome sendo dado ao segundo maior ginásio do complexo esportivo de São Januário, popularmente conhecido como “Forninho”.

Calçada também se tornou o segundo dirigente de peso da história do Vasco a falecer em 2019. Ex-aliado do mandatário, Eurico Miranda morreu em março passado, aos 74 anos, vítima de um câncer no cérebro, quando também estava internado em um hospital do Rio. Polêmico, Eurico presidiu o clube de 2003 a 2008 e de 2015 a 2017, mas sua participação na gestão do time carioca foi muito além deste período, tendo cargos como presidente do Conselho Deliberativo e de vice-presidente de futebol, posto que ele ocupou de 1986 a 2001 durante a gestão de Calçada.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora