Por pandemia, todos os clubes da Série A dispensam jogadores e cancelam treinos


A partir desta quarta-feira não há mais treinos marcados para nenhum dos 20 times da Série A do Campeonato Brasileiro deste ano. A pandemia do novo coronavírus fez as diretorias e comissões técnicas de todos os clubes decidirem dispensar os atletas, na maioria dos casos por tempo indeterminarem. O pedido é para todos ficarem em casa e cumprirem no isolamento uma rotina de exercícios físicos e de alimentação balanceada para a manutenção da forma física com o objetivo de evitar a propagação da doença.

O último clube a ter iniciado a quarentena do elenco foi o Atlético Goianiense. A equipe recém-promovida à elite do futebol nacional realizou a atividade final na manhã desta quarta-feira, em Goiânia, e na sequência reuniu os jogadores para passar as orientações sobre a pausa. O treino já estava marcado anteriormente e foi mantido porque apenas na noite de terça a federação local anunciou a suspensão do Campeonato Goiano.

A paralisação veio depois de um pedido do rival do Atlético Goianiense, o Goiás. A equipe esmeraldina se recusou a treinar na terça-feira e não queria disputar os jogos restantes do torneio estadual com os portões fechados, como havia sido previsto anteriormente. Os jogadores chegaram até mesmo a gravar um vídeo de manifesto para se atender as recomendações de saúde. A diretoria do clube apoiou a decisão.

No futebol paulista, a liberação dos jogadores foi formalizada na segunda-feira pelos quatro grandes do Estado. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo interromperam as atividades e enviaram aos jogadores cartilhas de prevenção, fora planilhas de treino para que possam manter a forma mesmo quando estiverem distantes das atividades no clube. Inicialmente apenas vão continuar nos centros de treinamento jogadores em trabalho de recuperação de lesões.

“O clube vai parar inicialmente por 20 dias. Já mandamos uma cartilha com indicações gerais, sintomatologia, como evitar, prevenção e hospitais de referência. O DM (departamento médico) do Santos vai funcionar no período da manhã em um regime menor de trabalho para atender possíveis casos”, disse o coordenador do departamento médico do Santos, Ricardo Galotti, à TV do clube.

O Fluminense chegou a divulgar no site oficial que passou aos atletas orientações para evitar a preocupação excessiva nesse período. A psicóloga do clube, Emily Gonçalves, explicou ao elenco a necessidade de fazerem atividades para amenizar o estresse. “Recomendamos algumas coisas em relação a isso, de se informarem, mas não ficarem impregnados pelo assunto, assim como pela distância do trabalho. Fazer coisas que gostam também é uma recomendação”, comentou.

O clube carioca promete ainda manter contato da comissão técnica com os jogadores por mensagens e telefonemas para repassar orientações exclusivas a cada atleta sobre qual treinamento deve ser feito. “Procuramos montar exercícios que podem ser feitos nessas condições. As dúvidas podem ser sanadas com facilidade através da tecnologia atual. É uma atitude muito importante, já que não temos ainda nenhuma previsão conclusiva de retorno”, afirmou o preparador físico do Fluminense, Marcos Seixas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora