Ponte Preta atinge maior jejum e aposta no dérbi para salvar a temporada


O empate por 1 a 1 diante do São Bento, no estádio Moisés Lucarelli, na última terça-feira, fez a Ponte Preta atingir o maior de jejum na temporada. Sem vencer há seis rodadas na Série B do Campeonato Brasileiro, amarga cinco igualdades (Oeste, Atlético-GO, Bragantino, América-MG e São Bento) e uma derrota (Vitória). Tal sequência, sob comando de Gilson Kleina, foi fatal para sepultar a possibilidade de acesso à elite.

O último triunfo no torneio nacional ocorreu em 8 de outubro, quando superou o Londrina, em Campinas, pelo placar de 3 a 1, com gols de Roger (2) e Renato Cajá. Se a maré é desfavorável dentro e fora de campo, a Ponte Preta tem no Dérbi 195, agendado para o próximo sábado, no Brinco de Ouro da Princesa, às 16h30, a possibilidade de minimizar a coleção de fracassos no ano e engatar o terceiro triunfo consecutivo em cima do Guarani.

Internamente, superar o maior rival, ainda mais fora de casa, é tido como a última obrigação para fechar 2019 de forma honrosa. Com 43 pontos, em 11º lugar, precisa de mais uma vitória para, sem sustos, garantir a permanência na segunda divisão do ano que vem.

“O mundo ideal é que tivéssemos entrosamento, uma equipe já brigando na parte de cima e que esse dérbi pudesse ser para os dois brigando lá em cima. É por isso que deveríamos estar torcendo. Mas, infelizmente, essas coisas não estão acontecendo. Vamos renovar, com energia forte e chegar fortalecido. Sei que será um jogo difícil”, prevê Kleina.

O dérbi vai ser realizado com torcida única, portanto, apenas com bugrinos. A venda antecipada chegou aos dez mil ingressos até o final da tarde, segundo informações da secretaria do Guarani.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora