Palmeiras joga com reservas contra o Mirassol

Equipe está focada na disputa da Libertadores, mas antes precisa visitar o Mirassol, às 16h30 de sábado, em jogo válido pelo Campeonato Paulista


O Palmeiras tem uma escala no interior de São Paulo, neste sábado, às 16h30, antes de voltar a se dedicar à disputa da Copa Libertadores. Após voltar da Colômbia e antes de enfrentar um time peruano pelo torneio continental, a equipe encara o Mirassol, fora de casa, pelo Campeonato Paulista, preocupado em dar rodagem a mais jogadores e evitar o desgaste dos titulares.

O time venceu na quarta-feira o Junior Barranquilla, por 2 a 0, e na terça-feira já terá novo compromisso pela Libertadores, recebendo o Melgar no Allianz Parque. A agenda internacional agitada fez o clube fretar um voo para viajar à Colômbia e deixou a equipe com somente um dia de treino para se preparar para o compromisso contra o Mirassol.

Foto: Cesar Greco / Agência Palmeiras / Divulgação
Técnico Luiz Felipe Scolari vai escalar time reserva para o duelo deste sábado

Por isso, o técnico Luiz Felipe Scolari deve escalar no interior uma formação bem diferente, com até dez alterações. O único jogador a ser utilizado novamente é o atacante Borja, por falta de opção de substituto. Deyverson ainda está suspenso no Campeonato Paulista e o outro centroavante, Arthur Cabral, não foi inscrito no Estadual.

O time fechou a preparação para o jogo com treino fechado na Academia de Futebol. Provável titular, o meia Moisés defendeu as atuações da equipe e avaliou que há exagero nas críticas sobre o desempenho. “Sabemos que em alguns pontos podemos melhorar. Em Barranquilla, poderíamos controlar um pouco mais o jogo. Em alguns momentos nos retraímos muito e deixamos o Junior pressionar”, avaliou.

Após ter um mês de fevereiro mais tranquilo, com poucos jogos, o Palmeiras vai encarar uma maratona em março, com compromissos no meio e no fim das semana. O desafio é recuperar a regularidade do ano passado, temporada marcada pelo êxito no rodízio de titulares. Em 2018, a divisão das equipes garantiu o título do Campeonato Brasileiro e foi semifinalista na Copa do Brasil e na Libertadores.

“A gente entende o tamanho do nosso elenco, todos são jogadores de qualidade, tanto os que permaneceram quanto os que chegaram. Temos de ter ciência de que não tem como jogarmos todos de uma vez”, disse Moisés. O jogador garante que o rodízio não é mais uma novidade, mas sim uma rotina no clube. “Em alguns momentos, determinados jogadores se destacarão e temos de entender isso. O grupo entendeu isso, principalmente com a ajuda do Felipão, que manteve esse rodízio. Todos têm oportunidade, isso facilita para a gente saber esperar”, comentou.

Sonhando ainda em entrar na briga por uma vaga nas quartas de final do Paulistão nas últimas rodadas, o Mirassol vai para o jogo contra o Palmeiras precisando da vitória. O técnico Moisés Egert poderá escalar o que tem de melhor, já que o lateral-direito Daniel Borges retorna após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

O treinador, no entanto, tem algumas dúvidas. Yuri briga por uma posição no meio de campo com Riccieli. Quem for o escolhido jogará ao lado de Léo Baiano e Jean Carlos. No ataque, a disputa por posição ficou entre Wilson e Zé Roberto. A expectativa é que o primeiro seja escalado entre os titulares.

“O Palmeiras tem um elenco muito qualificado. Sabemos que o Felipão deve alterar algumas peças em relação ao jogo da Libertadores, mas o nível da equipe seguirá o mesmo. Mas acredito nos nossos jogadores e mostramos que temos condições de surpreender. Precisamos focar em todos os detalhes. Só assim vamos conquistar a vitória e seguir sonhando com a classificação”, alerta o treinador.

O Mirassol, que vem de derrota para o São Caetano por 2 a 0, ocupa a lanterna do Grupo C, com oito pontos, contra 14 do Corinthians, 13 da Ferroviária e dez do Bragantino. Embora esteja de olho em uma vaga nas quartas de final, ainda está preocupado em se distanciar da zona de rebaixamento.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!