Novo diretor do Palmeiras desconversa sobre interesse no atacante Michael


Em sua apresentação como novo diretor de futebol do Palmeiras, o dirigente Anderson Barros desconversou nesta quinta-feira sobre o interesse do clube na contratação do atacante Michael, destaque do Campeonato Brasileiro pelo Goiás, e reafirmou a valorização dos jogadores da base como uma das principais diretrizes para 2020.

“(Michael) É um jogador que teve um destaque na temporada, já disputou a Série B. Temos de entender bem o processo. Temos atleta na base com potencial tão grande quanto. Temos que entender se vale a contratação do Michael ou qualquer outra contratação. Tenho que considerar que (Gabriel) Veron é um jogador de um potencial muito grande. É esse equilíbrio para tomar as decisões. Michael é destaque do campeonato, sim, mas temos que estar equilibrados”, afirmou Barros em entrevista coletiva na Academia de Futebol. “É um conceito: os meninos não poderão ser sacrificados”, completou.

O novo diretor reafirmou a nova orientação do clube para 2020: promover os atletas das categorias de base. Barros revelou que nove atletas serão promovidos, um a mais do que havia sido anunciado pelo ex-diretor Alexandre Mattos, demitido no início do dezembro. Os garotos promovidos são Alan, Esteves, Patrick de Paula, Gabriel Menino, Gabriel Veron e Angulo, promovidos da base, além de Vinicius Silvestre, Pedrão e Artur, que estavam emprestados.

A valorização das categorias de base do Palmeiras está inserida em um contexto de redução do orçamento do clube para contratações. O Palmeiras aprovou na noite de terça-feira, em reunião do seu Conselho Orientação e Fiscalização (COF), o orçamento do departamento de futebol para 2020. A verba de contratações está entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões. Em 2019, o clube investiu cerca de R$ 140 milhões. Em 2018, o valor foi novamente reduzido e ficou na casa dos R$ 45 milhões. Um ano antes, novo momento de investimento “gordo” com R$ 130 milhões. O novo diretor não quis comentar a verba para o ano que vem.

“O Palmeiras nos últimos anos sempre foi uma equipe competitiva no mercado. E vai continuar sendo. O Palmeiras deve ser uma equipe extremamente competitiva porque é a exigência do torcedor. O Palmeiras vai buscar seus atletas que entende que podem reforçar o elenco e dar competitividade maior ainda”, afirmou o dirigente.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora