Na casa de rival, Olympique desafia favoritismo do Atlético de Madrid em decisão

Depois de 25 anos, o Olympique de Marselha pode voltar a ser campeão continental. Primeiro clube a vencer a Liga…


Depois de 25 anos, o Olympique de Marselha pode voltar a ser campeão continental. Primeiro clube a vencer a Liga dos Campeões, a versão moderna da Copa dos Campeões, o time francês decide nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), a Liga Europa diante do Atlético de Madrid, em Lyon, tentando ampliar o seu orgulho nacional na casa de um dos seus principais rivais.

O Olympique é o único clube francês a ter conquistado a Liga dos Campeões ao bater o Milan por 1 a 0 na grande decisão em 1993. O título é motivo de zombaria dos torcedores do time de Marselha sobre o Paris Saint-Germain, que tem dominado a liga francesa nos últimos anos, mas segue sem ter vencido a principal competição do futebol europeu ou a Liga Europa.

O problema para o Olympique é que os títulos têm escasseado, só tendo vencido o Campeonato Francês uma vez, na temporada 2009/2010, após faturar o seu maior título. E nesse período, o time perdeu duas vezes a decisão da Copa da Uefa, a atual versão da Liga Europa, em 1999 e 2004.

A chance de voltar a ser campeão continental voltou a surgir para o confronto desta quarta-feira. E em um palco especial, o estádio Parc Olympique Lyonnais, casa do Lyon, o que traz um significado especial para o clube de Marselha, pela rivalidade com o time dono da casa.

Em março, o triunfo do Lyon por 3 a 2 sobre o Olympique no Vélodrome, pelo Campeonato Francês, terminou com uma pancadaria generalizada entre os jogadores. Além disso, confronto entre torcedores dos dois clubes têm sido recorrentes, o que fez a segurança ser reforçada para o duelo desta quarta-feira com 1.250 policiais, um helicóptero e dois veículos equipados com canhões de água estarão na região do estádio para monitorar e evitar conflitos.

Olympique e Lyon também estão intimamente ligados nesse fim de temporada. Com três vagas sendo distribuídas na Liga dos Campeões através do Campeonato Francês, o Lyon é o terceiro colocado, com um ponto de vantagem para o Olympique a uma rodada do fim. E como o vencedor da Liga Europa assegurará presença na principal competição do futebol europeu, o futuro do time de Marselha passa diretamente por Lyon.

Assim, não falta motivação para o Olympique. Mas superar a defesa do Atlético de Madrid é outro desafio, um time que tem disputado finais continentais em todos anos pares recentes – venceu a Liga Europa em 2010 e 2012 e perdeu a Liga dos Campeões em 2014 e 2016.

“Temos uma chance muito pequena de vencer, mas vamos dar tudo. Jogar contra o Atlético é um grande evento para nós. Este é um clube que jogou duas finais da Liga dos Campeões nos últimos quatro anos, um clube que venceu a Liga Europa há pouco tempo. Mas uma final em casa na França é uma oportunidade fantástica. Nenhum clube francês já ganhou este troféu. Seria fantástico se pudéssemos ser os primeiros”, disse Rudi Garcia, técnico do Olympique, em entrevista coletiva.

Para conseguir superar o favoritismo do Atlético de Madrid e compensar a ausência do lesionado Rolando, o Olympique deve confiar no seu sistema defensivo em uma dupla de zaga formada por Adil Rami e o brasileiro Luiz Gustavo, que se tornou peça fundamental no seu primeiro ano no time. Já no setor ofensivo, o Olympique confia em Florian Thauvin, autor de 26 gols nesta temporada, e Dimitri Payet.

O Atlético de Madrid reconhece que carrega o status de favorito desde o início da sua participação na Liga Europa – foi relegado ao torneio após a queda na fase de grupos da Liga dos Campeões. E agora espera confirmar esse status na grande final em Lyon.

“Eles são muito perigosos, particularmente no meio-campo e no ataque. Será certamente um jogo difícil. Assim que fomos eliminados da Liga dos Campeões, imediatamente abraçamos a competição. Ser amplamente apontado como favorito a alcançar o final aumentou nosso senso de dever e responsabilidade. E aqui estamos”, disse o argentino Diego Simeone, técnico do Atlético de Madrid e que está suspenso da final.

O seu sistema defensivo tem impressionado, com apenas quatro gols sofridos em oito jogos na Liga Europa e 20 em 37 duelos no Campeonato Espanhol, o que também passa pela excelente forma do zagueiro uruguaio Diego Godín e pelo goleiro esloveno Jan Oblak. E com a parceria de Diego Costa, Antoine Griezmann será o francês a tentar a estragar a festa do Olympique em Lyon.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!