Marcelo Oliveira confirma Marcos Junior e mantém dúvida na lateral do Fluminense

Estreante no Fla-Flu, o técnico Marcelo Oliveira confirmou que utilizará o atacante Marcos Junior como meio-campista novamente na vaga de…


Estreante no Fla-Flu, o técnico Marcelo Oliveira confirmou que utilizará o atacante Marcos Junior como meio-campista novamente na vaga de Sornoza, que está com a seleção do Equador, mas ainda não sabe quem jogará na lateral direita do Fluminense no clássico contra o Flamengo. Os rivais se enfrentam neste sábado, às 17 horas, na abertura da 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“O time vai ser o mesmo da última partida. Só vai mudar o lado direito. Treinamos com Norton, Julião e Dodi. Até amanhã, a gente toma a decisão. As opções (para a lateral direita) são Mateus Norton, mais marcador, o Dodi que pode jogar como ala. E ainda temos o Igor Julião. Foram esses que treinaram e são esses que estão à disposição”, disse o técnico em entrevista coletiva nesta sexta-feira após o último treinamento a equipe para o clássico.

O treinador se mostrou satisfeito com o desempenho de Marcos Junior como meia na última vitória da equipe, por 4 a 0 sobre o lanterna Paraná, e por isso optou pela permanência do atacante como substituto de Sornoza. O que também agradou ao treinador foi o rendimento dos zagueiro desde que ele voltou a optar pelo esquema 3-5-2, muito utilizado por Abel Braga enquanto técnico do time tricolor.

“O esquema não é do Abel, é do futebol. Já usei antes. Voltei com ele pois creio que é o melhor para as nossas características. Os zagueiros são técnicos, os alas atacam muito. Jadson cresceu. Enfim, é o melhor para a gente. E sempre podemos mudar durante o jogo, afinal, Ibañez começou a carreira como volante. Acredito que uma vitória nos dará muita confiança nesta reta final de temporada”, afirmou o treinador.

Marcelo Oliveira se mostrou ansioso para o seu primeiro Fla-Flu e exaltou o bom momento das duas equipes. Enquanto os seus comandados vêm de goleada sobre o Paraná e estão vivos na Copa Sul-Americana, o rival está invicto há cinco jogos no torneio nacional e na briga pelo título.

“Nos clássicos as coisas se equilibram porque tem outros ingredientes que têm peso importante nesse tipo de jogo. Tática, parte técnica, emocional, são fundamentais. Mas a entrega também é muito importante. E temos um grupo que já provou ser muito determinado. Vamos enfrentar um bom time e vamos com a nossa força, que é o coletivo para tentar decidir o jogo na hora certa”, analisou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!