Levantamento mostra força das seleções do mundo e hegemonia de cada época

Qual era a melhor seleção do mundo em 1970? Quem comandava o futebol nos anos anteriores à primeira Copa do…


Qual era a melhor seleção do mundo em 1970? Quem comandava o futebol nos anos anteriores à primeira Copa do Mundo? Hoje, quem chega com força para ganhar o título na Rússia? Para responder essas perguntas, que são certeza de polêmica entre os fãs de futebol, o Estado desenvolveu uma metodologia para avaliar os times mais dominantes em cada época.

Assim, podemos ver como o Brasil de Pelé tornou-se a grande força dos anos 60, como o Uruguai ressurgiu das cinzas para ganhar a Copa de 1950 e como a Espanha foi soberana no começo da última década, entre outras tendências. Alemanha, Brasil, Espanha, Portugal e França são os times com os melhores resultados desde o final do último Mundial e, em tese, favoritos para ganhar em 2018.

A análise foi desenvolvida a partir de uma metodologia chamada Elo, tradicionalmente usada para avaliar a habilidade de jogadores de xadrez. De acordo com ela, que funciona como uma espécie de ranking, um time ganha pontos quando vence e perde pontos quando é derrotado. Entretanto, nem todos os jogos têm o mesmo peso: ganhar de adversários mais fortes vale mais do que ganhar de fracos. Vencer um jogo de Copa contra a Argentina vale mais do bater o Haiti em um amistoso.

Na prática, o levantamento revela quem teve maior superioridade sobre os adversários de sua época. Nos gráficos destacamos a trajetória das oito seleções campeãs mundiais e de mais cinco times que marcaram época. Eles exibem o melhor momento delas em cada temporada, realçando as conquistas e grandes campanhas.

Além disso, há um aumento progressivo no número de linhas conforme os anos avançam: isso significa que há um número maior de países jogando futebol. Foram analisados mais de 30 mil jogos, desde o primeiro amistoso internacional, em 1872, até os últimos amistosos antes da Copa do Mundo.

O QUE É – A análise do Estado usa uma adaptação de um método desenvolvido pelo físico húngaro Arpad Elo. De acordo com a pontuação dos times no momento do jogo, uma fórmula matemática é utilizada para determinar a probabilidade de vitória.

Quando um time sai vitorioso em um jogo em que o triunfo era improvável, ele ganha mais pontos. Se a vitória ocorre em um jogo onde era franco favorito, ganha menos. O derrotado sempre perde a mesma quantidade de pontos que o vencedor ganhou. Em caso de empate, o time favorito perde pontos e o azarão ganha.

A principal diferença entre o modelo desenvolvido pelo jornal e o método tradicional é que foram atribuídos multiplicadores de acordo com a importância dos jogos. Assim, um jogo de Copa do Mundo vale seis vezes mais do que um amistoso, por exemplo. Além disso, ele leva em conta a quantidade de gols: golear dá mais pontos que ganhar de 1 a 0.

A pontuação dos times muda a cada jogo disputado, mas, para sintetizar a informação, os gráficos mostram apenas a evolução anual. Ao final de cada ano, as equipes perdem 10% de seus pontos. Assim, a análise enfatiza o desempenho do time em anos recentes.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!