Klopp confirma recuperação de Firmino e minimiza seu retrospecto ruim em decisões


O técnico Jürgen Klopp confirmou nesta sexta-feira que o atacante Roberto Firmino está plenamente recuperado de uma lesão muscular na virilha e pronto para defender o Liverpool contra o Tottenham, neste sábado, às 16 horas (de Brasília), no estádio Wanda Metropolitano, pela decisão da Liga dos Campeões da Europa. O treinador evitou adiantar o brasileiro na formação titular de sua equipe, mas a tendência é a de que ele seja escalado para formar trio ofensivo com Salah e Mané.

Ao ser questionado sobre a situação de Firmino em entrevista coletiva concedida no palco da decisão, o comandante alemão avisou: “Sim, ele está pronto. Outra coisa é saber se vai ou não começar o jogo, mas ele está em perfeita forma”.

O brasileiro não disputa uma partida desde o dia 1º de campo, quando esteve em campo por poucos minutos durante o jogo de ida da semifinal da Liga dos Campeões, contra o Barcelona, que terminou em derrota do time inglês por 3 a 0, no Camp Nou. Na sequência, ele ficou fora de três partidas: o duelo de volta contra a equipe espanhola e os confrontos diante de Newcastle e Wolverhampton, pelas duas últimas rodada do Campeonato Inglês.

Entretanto, Klopp elogiou a condição de Firmino para o duelo deste sábado. “Ele está pronto, ele está treinado, ele está aqui e, se nada aconteceu do momento em que ele deixou o avião (e desembarcou em Madri) até agora, o que eu não vi deste então, ele estará bem para jogar”, disse.

SINA DE FINAIS – Klopp também minimizou nesta sexta o fato de que lutará pelo título neste sábado tentando encerrar o seu retrospecto ruim em decisões como treinador. Desde que venceu a Copa da Alemanha pelo Borussia Dortmund em 2012, ele foi superado nas seis finais seguintes que disputou. Na própria Liga dos Campeões foram duas derrotas em partidas que valeram o título, em 2013 com o Borussia diante do Bayern e em 2018 com o Liverpool contra o Real Madrid. O alemão ainda foi batido nos jogos que valeram os títulos da Copa da Alemanha em 2013 e 2014 e da Copa da Inglaterra em 2016, ano em que ainda amargou um revés na final da Liga Europa.

“Se eu me visse como um perdedor, aí sim teríamos todos um problema, mas eu não vejo assim”, destacou o comandante ao responder se ele se considerava um técnico sem sorte. “Não tive tanto azar em minha carreira até agora”, reforçou Klopp, lembrando em seguida que, desde 2012, figurou de maneira constante em decisões. E o alemão exaltou que as decepções sofridas em finais servem como motivação para triunfar neste sábado.

“O que aconteceu no passado também me dá confiança. Se você trabalha para que a sorte chegue, às vezes ela chega”, disse o técnico, que em 2018 caiu junto com o Liverpool por 3 a 1 diante do Real Madrid na final realizada em Kiev, na Ucrânia.

Klopp disse que o seu time “aprendeu muito” com aquela dura derrota e, ao projetar esta decisão com o Tottenham, negou que o Liverpool entrará em campo como favorito, embora o rival dispute pela primeira vez uma final da Liga dos Campeões. “Não vejo uma vantagem nossa”, ponderou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora