Internacional identifica e suspende torcedora que agrediu gremistas no Beira-Rio


A diretoria do Internacional anunciou nesta segunda-feira que identificou e suspendeu de forma temporária a mulher envolvida no caso de intimidação e agressão a uma torcedora do Grêmio acompanhada do filho durante o clássico contra o Grêmio, no último sábado, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro. Sócia do clube colorado, ela foi suspensa temporariamente do quadro social.

O anúncio foi feito em uma nota oficial divulgada nesta segunda-feira pelo clube em seu site e nas redes sociais. Outros dois homens que aparecem nas imagens também foram identificados – um deles é conselheiro e outro é sócio do clube. Segundo o texto, eles devem responder a um processo disciplinar do Conselho Deliberativo.

“Após os fatos ocorridos ao final do clássico Gre-Nal do último sábado (20), o Sport Club Internacional analisou as imagens e determinou a suspensão temporária da sócia envolvida no ato. Além da torcedora, os outros dois envolvidos também foram denunciados à Ouvidoria do Clube para abertura de processo disciplinar, que será analisado e processado pela Comissão de Ética e Disciplina do Conselho Deliberativo”, disse o clube.

“Informamos também que as imagens e as identificações serão entregues à Promotoria Especial do Torcedor do Ministério Público. Ressaltamos, mais uma vez, que o Clube do Povo não compactua com nenhum tipo de violência ou discriminação”, completou a nota do Internacional.

Após o jogo, que terminou empatada por 1 a 1, uma torcedora e um garoto gremista comemoravam o resultado com uma camisa tricolor quando foram hostilizados por colorados no Beira-Rio. O incidente aconteceu em setor destinado à torcida local e funcionários tiveram que intervir para controlar a situação, que ocorreu quando as pessoas deixavam o estádio.

Os torcedores do Internacional arrancaram a camisa gremista da dupla visitante. O garoto começou a chorar, enquanto uma colorada agrediu a torcedora gremista com empurrões e tapas violentos.

O episódio repercutiu nas redes sociais, com manifestações de repúdio tanto de gremistas como de colorados. A história não demorou para chegar aos jogadores do Grêmio. Everton e Jean Pyerre, por exemplo, usaram seus perfis para pedir o contato do menino e da mulher.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora