Instável, zaga da Ponte Preta pode ter mudança contra o Oeste


O gol sofrido na vitória por 3 a 1 sobre o Londrina pode ter sido a gota d’água para Gilson Kleina optar por alterar a zaga da Ponte Preta. O treinador admitiu, em entrevista coletiva, certa dose de insatisfação com o rendimento de Reginaldo e revelou ter um papo com o zagueiro para entender a queda de produção nas últimas rodadas.

“Vou conversar com o Reginaldo, ver como podemos melhorar e sentir do atleta por que o desempenho não está acontecendo. Temos de nos ajudar. É o momento de estarmos juntos. É uma peça de qualidade no passe e leitura de jogo. Houve duas situações em que poderiam ser simplificadas. Até conversei com ele ao fim da partida”, comentou Kleina. “Airton também treina muito bem, assim como o Trevisan. Tenho de resgatar atletas importantes. Isso também passa por Reginaldo e Renan Fonseca”, emendou.

Como Henrique Trevisan está cotado para substituir Guilherme Guedes, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, na lateral esquerda diante do Oeste, nesta sexta-feira, na Arena Barueri, Airton surge como possível substituto para o setor.

O zagueiro de 28 anos tinha grande prestígio com o ex-técnico Jorginho, mas não entra em campo desde o empate por 2 a 2 com o Sport, em 24 de agosto, justamente no confronto em que culminou na sua demissão. Agora, Airton busca a primeira oportunidade com o novo comandante em busca de uma sequência entre os titulares.

Em nono lugar com 38 pontos, com três de desvantagem em relação ao G4, a Ponte Preta tem sequência vital como visitante para seguir com o sonho vivo do acesso: Oeste e Atlético-GO (segunda-feira).

Após promover mudanças em todos os setores na última rodada, Kleina deve optar por manter a base utilizada. Uma possível escalação da Ponte tem: Ygor Vinhas; Diego Renan, Renan Fonseca, Reginaldo (Airton) e Henrique Trevisan; Edson (Washington), Lucas Mineiro e Renato Cajá; Marquinhos; Vico e Roger.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora