Grêmio aciona a Conmebol para reverter pontos de jogo contra o River Plate

Uma comitiva liderada pelo presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, e advogados do clube já está a caminho do Paraguai para…


Uma comitiva liderada pelo presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, e advogados do clube já está a caminho do Paraguai para pedir a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) a reversão dos pontos da segunda partida da semifinal da Copa Libertadores, contra o River Plate, em função do descumprimento do regulamento da competição por parte do técnico da equipe argentina, Marcelo Gallardo. Após ser derrotado por 2 a 1 no confronto de volta do mata-mata, o time gremista foi eliminado da competição na noite de terça-feira, em Porto Alegre.

Em meio aos inúmeros questionamentos extracampo, que culminaram com a eliminação do Grêmio, Gallardo também estava proibido pela Conmebol de se comunicar com o auxiliar técnico durante a partida e de ter contato com os atletas no vestiário. Além de descumprir as regras, o treinador argentino afirmou que faria tudo novamente. Direto do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, o vice jurídico do Grêmio, Nestor Hein, afirmou ao Estado que buscará a reversão dos pontos.

“O Gallardo estava punido e mesmo assim foi ao vestiário, no intervalo, e deu instruções. No final do jogo, ele disse que não tinha cumprido a regra da Conmebol, que se orgulhava disso e que não faria diferente se pudesse voltar atrás. Então, já que há um descumprimento de regra, o Grêmio vai buscar os seus direitos”, afirmou.

Nestor Hein ainda vai elencar dois casos envolvendo clubes brasileiros na Libertadores para tentar convencer a Conmebol a acatar o recurso gremista. Segundo o advogado, o Santos foi penalizado contra o Independiente, nas oitavas de final, após a Conmebol ter considerado irregular a escalação do meio-campista Carlos Sánchez. Além disso, o zagueiro Dedé, do Cruzeiro, foi expulso injustamente contra o Boca Juniors, no jogo de ida das quartas de final, teve a penalidade revertida pela organização da competição e pôde atuar na partida de volta. “A possibilidade existe. Vamos ver como o tribunal vai se comportar”, assinalou.

A previsão de Nestor Hein é de que Conmebol se manifeste até esta quinta-feira sobre o recurso do Grêmio. Como o tribunal da Conmebol é de penas, não haverá, em um primeiro momento, oportunidade de defesa para o River Plate. O clube argentino somente poderá se pronunciar após a decisão da entidade.

A decisão de ajuizar a reclamação na Conmebol foi tomada nesta manhã de quarta-feira pelo Grêmio. “O Grêmio decidiu ajuizar reclamação por descumprimento do regulamento geral da competição e do regulamento disciplinar, em face da participação irregular do treinador do River Plate no vestiário durante o intervalo para instruções aos atletas do seu clube, assim como por meio de comunicação por rádio com seu auxiliar – estando ele suspenso pela Conmebol. A tipificação do fato está devidamente comprovada no artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol”, descreve.

Além disso, o Grêmio adverte que o primeiro gol do River Plate na última terça ocorreu em condição irregular, sem qualquer participação ou interferência do VAR, embora as imagens tenham constatado o fato de que a bola bateu no braço do atacante Borré após ele dar a cabeçada para empatar o duelo na arena gremista. “A Conmebol, antecipadamente aos jogos das semifinais, reuniu os clubes em sua sede e estabeleceu o fair play com vistas às disputas. Na ocasião, obteve concordância de todos os clubes em competir de forma limpa, cumprindo as regras do jogo, o que motiva o Grêmio a tomar suas providências”, diz a nota.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!