Extraditado, ex-presidente da Conmebol chega ao Uruguai para depor


O ex-presidente da Conmebol Eugenio Figueredo desembarcou nesta quinta-feira em Montevidéu, no Uruguai, extraditado da Suíça depois de ter sido preso por envolvimento no escândalo de corrupção que manchou o futebol em 2015. O ex-dirigente mal chegou ao seu país natal e já foi imediatamente encaminhado a um tribunal para prestar depoimento.

Figueredo entrou no tribunal sem fazer declarações. Sua advogada, Karen Pintos, disse à imprensa que seu cliente “vem em um estado de saúde delicado e não se pode esquecer de sua idade, 83 anos, e que chega depois de uma viagem de muitas horas”.

Karen ainda manifestou que caso seu cliente seja enviado à prisão, pedirá que tenha o benefício da prisão domiciliar, justamente em virtude da idade avançada e dos problemas de saúde. Mas o promotor de crime organizado Juan Gómez adiantou que pedirá à juíza Adriana de los Santos que decrete a detenção de Figueredo pelos crimes de fraude e lavagem de dinheiro.

Figueredo conseguiu ser extraditado ao Uruguai, como desejava, ao invés dos Estados Unidos, que foi quem comandou a operação executada na Suíça. O Ministério da Justiça suíço entendeu que em seu país natal o ex-dirigente poderia ser julgado por outros crimes, que não seriam considerados nos EUA.

Em uma tentativa de impedir que Figueredo fosse enviado a Nova York, autoridades uruguaias pediram aos suíços sua extradição ao país, alegando que também o investigam por corrupção.

No dia 17 de setembro, os suíços já haviam autorizado a extradição do uruguaio para Nova York, mas Figueredo entrou com um recurso. Semanas depois, foram as autoridades de Montevidéu que pediram sua extradição. O uruguaio, durante o processo, chegou a entrar com um recurso pedindo para esperar pelo processo em prisão domiciliar. Os suíços rejeitaram.

online pharmacy coupon code site new prescription coupon
your pharmacy card free grocery coupons promo code for walgreens
LIBERAL VIRTUAL Acesse agora