Entidades oferecem cursos e pesquisas sobre futebol para profissionais e fãs

Como melhorar o futebol brasileiro? Uma das maneiras é construindo conhecimento sobre o esporte, buscando entender o que é em…


Como melhorar o futebol brasileiro? Uma das maneiras é construindo conhecimento sobre o esporte, buscando entender o que é em seus diversos aspectos e o que difere o que é praticado aqui dos outros países, e espalhar esse conhecimento. Apostando nisso, entidades como a Universidade do Futebol e o Footure FC foram criados.

A Universidade do Futebol existe há 13 anos. “Nossa intenção era disseminar conhecimento em todas as áreas do futebol: área técnica, gestão, governança, análise de desempenho, marketing, direito esportivo, ciências humanas e sociais, pedagogia, psicologia e biomecânica”, explica o CEO e fundador, João Paulo Medina.

Por isso, a universidade desenvolveu diversos projetos, de cursos pagos de formação a professores de escolinha e gestores do futebol até pesquisas na área. Os cursos de gestão já tiveram alunos como Paulo André, Edu Gaspar, Kaká e Tinga, que buscavam ter ajuda na transição da vida de atleta para profissionais ligados ao futebol.

Medina explica que a escola também procura desenvolver pesquisas. “Damos valor à questão sociológica no futebol, mas pesquisamos sobre todos os aspectos. Assinamos recentemente uma parceria com a Unicamp para fazer levantamentos e desenvolver estudos sobre a pedagogia da rua, do futebol de rua, na cultura do futebol”, relata.

A Universidade aposta no futebol principalmente como instrumento educacional. Por isso, conseguiu bons resultados ao utilizar o esporte com crianças que tinham dificuldades na escola em Jundiaí, onde fica a sede. Também firmou parceria com a Unicef para lançar cursos sobre metodologia para o ensino do futebol e análise de desempenho na China.

Outra empresa que surgiu tentando incrementar o conhecimento no futebol foi o Footure FC. Surgido a partir de uma ideia discutida entre amigos em mesa de bar, o site se propõe a fazer análises táticas mais aprofundadas para o torcedor, conhecido como ‘fanalytic’, assim como o lado psicológico dos atletas ao longo de uma partida.

“Nosso público é o torcedor que gosta de falar sério sobre o futebol, entender os números e como eles influenciam”, conta Eduardo Dias, CEO do Footure que, após começar produzindo podcasts, tem hoje também site e canal no YouTube.

Dias conta que a participação do público também ajudou o Footure a crescer. “Formamos uma comunidade. Há alguns que chegam a mandar trabalhos científicos, como um fã que criou um algoritmo que calcula quantas vezes um jogador virou a cabeça durante uma partida, o que influencia no modo dele de procurar opções de passe.”

Em 2018, o Footure lançou um curso online para ensinar a analisar taticamente uma partida. Além disso, criou o Footure Lab, para promover palestras e encontros em todo o Brasil.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!