Em encontro, Pelé diz que Mbappé não precisa sair do PSG para ser melhor do mundo

Pelé e o atacante Mbappé se encontraram pela primeira vez durante um evento realizado em Paris nesta terça-feira e o…


Pelé e o atacante Mbappé se encontraram pela primeira vez durante um evento realizado em Paris nesta terça-feira e o Rei do Futebol aproveitou a oportunidade para dar conselhos ao craque do PSG e da seleção francesa. O brasileiro disse, durante entrevista coletiva, que não acredita ser necessário que o jogador deixe o clube francês para ser eleito o melhor do mundo e usou sua carreira para confirmar sua tese.

“Ele não precisa sair do PSG para ser eleito o melhor do mundo. Ele deve continuar a jogar da mesma maneira, porque ele se tornará o melhor do mundo assim. Isso é importante. Se tivermos que fazer uma comparação com Pelé, o Pelé nunca deixou Santos para ser o melhor jogador do mundo”, afirmou o Rei do Futebol.

O brasileiro ainda comentou sobre as semelhanças físicas e no estilo de jogo entre ele e o craque francês. Para Pelé, o futebol mudou muito e fica difícil a comparação entre os dois.

“Ele não pode ser como eu porque meus pais fecharam a fábrica (risos), mas ele tem a oportunidade de ter a mesma sorte que eu tive no futebol. Eu tive este presente de Deus. Depois, é o que eu sempre digo aos mais jovens: hoje, o futebol é muito mais físico do que no meu dia. Será necessário que Mbappé esteja muito bem preparado fisicamente para alcançar seus objetivos”, respondeu Pelé.

O Rei do Futebol ainda destacou o que acredita que Mbappé precisa melhorar. “O que está faltando para ele? Não muito. Talvez o jogo da cabeça, o impulso e o salto. Isso é o que nos faz diferentes. Eu tive muito impulso”, comentou.

O encontro entre Pelé e Mbappé se deu quase um ano após a troca de elogios entre eles durante a Copa do Mundo da Rússia, onde o francês foi campeão e atingiu feito que antes só tinham sido atingido pelo brasileiro. Na decisão contra a Croácia, Mbappé igualou o feito de Pelé ao se tornar o segundo jogador a marcar um gol na final de uma Copa com menos de 20 anos – tinha 19 anos na época, enquanto o Rei do Futebol estava com 17 em 1958.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!