Em clássico marcado por protestos, Barcelona e Real Madrid empatam sem gols


Em um clássico marcado por protestos fora e dentro do Camp Nou, Barcelona e Real Madrid empataram por 0 a 0, nesta quarta-feira, em jogo adiado da 10ª rodada do Campeonato Espanhol. A partida iria acontecer no dia 26 de outubro, mas foi remarcada por causa da tensão política vivida pela Catalunha.

Com o resultado de igualdade, o Barcelona continua na primeira colocação com 36 pontos, mesma pontuação do Real Madrid, pelos critérios de desempate. Agora todos os times estão com os mesmos 17 jogos na competição. Foi o quinto clássico em que Zidane não foi superado no Camp Nou.

Antes do jogo, o grupo conhecido como Tsunami Democrático organizou um protesto nos arredores do Camp Nou. Apesar do bloqueio de algumas ruas e de um reforço na segurança, centenas de pessoas se reuniram de maneira pacífica para defender o diálogo entre o governo de Madri e as autoridades regionais catalães.

Diversos cartazes com a frase “Spain, sit and talk” (“Espanha, sente e converse”), foram entregues aos torcedores que se dirigiam ao estádio para acompanhar o clássico. Antes do início da partida, uma faixa com os mesmos dizeres e outra escrita liberdade foram exibidas com destaque, na arquibancada.

O clássico foi disputado sob forte esquema de segurança organizado pela Polícia da Catalunha. Ao todo foram 3 mil agentes, incluindo segurança privada, trabalhando desde o início da manhã de quarta-feira para evitar qualquer problema. As equipes chegaram sem incidentes, em um comboio quase simultâneo.

Após Marc Márquez, campeão da MotoGP, dar um simbólico pontapé inicial, o clássico começou tenso. Varane e Jordi Alba discutiram rispidamente em uma jogada na área. O Real Madrid reclamou ainda de um pênalti de Rakitic antes dos 20 minutos.

A equipe de Zidane parecia jogar no Santiago Bernabéu e não na casa do rival. O Real Madrid pressionava o Barcelona no campo ofensivo. O goleiro Ter Stegen fez pelo menos duas boas defesas e Piqué salvou uma cabeçada de Benzema em cima da linha. O time catalão teve apenas uma grande chance no primeiro tempo, com Messi, mas Sergio Ramos repetiu o que Piqué havia feito do outro lado.

Na beira do campo, policiais monitoravam atentamente os torcedores nas arquibancadas para evitar uma possível invasão do gramado no Camp Nou. Mas o problema foi fora do estádio. Integrantes do Tsunami Democrático entraram em confronto com um grupo de 30 torcedores ultras do Barcelona, os Boixos Nois. A polícia agiu com violência. Diversos manifestantes foram detidos.

No segundo tempo, aos 10 minutos, balões vermelhos e amarelos, cores da Catalunha, foram soltos no gramado e cartazes com os dizeres “Espanha, sente e converse” foram levantados nas arquibancadas. A transmissão oficial usou uma câmara aérea para evitar que o protesto fosse exibido ao vivo para o mundo.

Após o incidente, o Barcelona melhorou em campo. A equipe catalã reclamou de um pênalti não marcado de Sergio Ramos em Suárez e, pouco depois, Messi perdeu uma boa chance em jogada de Griezmann. De Jong também exigiu boa defesa de Courtois.

O Real Madrid não diminuiu o ritmo diante do crescimento do rival, teve um gol de Bale anulado e, com algumas faltas, fez o clima esquentar. Em um espaço de 12 minutos Casemiro, Bale, Isco e Sergio Ramos receberam o cartão amarelo. O brasileiro Rodrygo entrou aos 34 minutos, mas o 0 a 0 permaneceu até o apito final.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora