D. Costa revela aprendizado com Guardiola e elogia: ‘Gênio’

Meia brasileiro chegou ao Bayern de Munique nesta temporada e caiu nas graças do treinador espanhol


Pep Guardiola é considerado um dos grandes treinadores dos últimos tempos no futebol mundial, e na avaliação de um de seus mais novos comandados, todos os elogios são justos. O meia Douglas Costa chegou ao Bayern de Munique nesta temporada para trabalhar com o espanhol e garante: o trabalho realizado pelo técnico é diferente de tudo que ele já viu.

“Na primeira vez que eu pisei no Bayern ele me perguntou: ‘E aí? Preparado pra abrir a mente e aprender a jogar futebol?’. Eu respondi: ‘É claro!’. Antes eu achava que a função de treinador era só escalar e meio que torcer. Mas ele é um cara que parece que joga junto. É algo diferente, realmente, ele é um cara que cobra bastante. Eu acho que posso resumir que ele é um cara viciado no que faz, é viciado no futebol e por causa disso ele é um fenômeno”, disse em entrevista à TV Globo.

O jogador da seleção brasileira explicou que os treinamentos dados por Guardiola são diferentes, mas que o treinador também é capaz de mudar o panorama de uma partida em seu decorrer. “Às vezes, o jogo está meio truncado e ele mexe em algum espaço que abre espaço para outro jogador entrar. Então, eu acho que ele é um cara que te dá tudo meio mastigado, é muito inteligente e sabe todos os espaços. É uma experiência que eu acho que todo mundo deveria passar, porque ele é um cara que para mim é um gênio. Todo dia que eu estou com ele, aprendo alguma coisa diferente.”

Com o novo comando, o futebol de Douglas Costa também cresceu. Revelado pelo Grêmio, o jogador brilhou com a camisa do Shakhtar Donetsk nos cinco anos em que a vestiu, entre 2010 e 2015, mas somente após a chegada ao Bayern passou a ser unanimidade na seleção brasileira e se firmou como um dos grandes jogadores da posição.

“É uma coisa extraordinária treinar com o Guardiola porque tem situações que tu vive com ele que tu jamais viveria com outra pessoa. Por exemplo, no Shakhtar eu voltava mais pra marcar. Hoje, no Bayern, eu ajudo a marcar bastante, mas eu ataco muito mais. Me corrigindo ele corrige a minha postura ofensiva. O interessante é que ele tira o melhor de todo mundo, e por isso o Guardiola é o que é. A gente marca com a bola, sem dar para os outros. É só ver que a nossa posse de bola é sempre superior à do adversário”, explicou.

O jogador revelou que recebeu a garantia do espanhol de que teria espaço no elenco mesmo com tantos nomes de peso na posição, como Ribery, Robben, Thiago Alcântara, Arturo Vidal e Mario Götze. “Por telefone, ele falou que estava me contratando e que eu ia jogar. Eu falei que tinha uns caras na posição e que eu ia esperar para jogar, então ele me disse: ‘Não, se tu vier pra cá, tu vai jogar, pode confiar em mim’.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora