Croácia vai à final da Copa com 10 titulares eliminados ainda na 1ª fase em 2014

Com nomes como os de Modric, Perisic, Rakitic e Mandzukic, a Croácia que chega à decisão da Copa do Mundo…


Com nomes como os de Modric, Perisic, Rakitic e Mandzukic, a Croácia que chega à decisão da Copa do Mundo pela primeira vez em sua história, na Rússia, tem qualidade inegável. Curiosamente, porém, um grupo composto por praticamente os mesmos nomes fracassou há quatro anos, no Mundial do Brasil.

Dos 11 titulares do time-base da Croácia na Rússia, 10 estavam no grupo que caiu ainda na primeira fase da Copa do Brasil, em 2014. Na ocasião, a seleção teve desempenho para ser esquecido e deixou o torneio com apenas uma vitória em três partidas.

Há quatro anos, a Croácia caiu na estreia do Grupo A para o Brasil, por 3 a 1, goleou a fraca seleção de Camarões, por 4 a 0, e, no jogo que valia a classificação às oitavas de final, foi facilmente derrotada pelo México, mais uma vez por 3 a 1.

O que talvez nem o mais otimista croata esperasse era que aquela mesma geração seria capaz de levar o país à sua primeira final de Copa do Mundo. E pode ir ainda além e garantir o inédito e inesperado título na Rússia. Para isso, basta derrotar a França neste domingo, em Moscou.

Dos titulares na maior parte da Copa na Rússia, inclusive no triunfo das semifinais sobre a Inglaterra nas semifinais, somente o lateral-esquerdo Strinic, à época no Dnipro, da Ucrânia, não estava em 2014.

Seis das principais peças da atual seleção eram titulares daquela: o zagueiro Lovren (ex-Southampton e hoje no Liverpool), o lateral Vrsaljko (ex-Genoa e hoje Atlético de Madrid), os meias Rakitic (ex-Sevilla e atual Barcelona), Modric (que já estava no Real Madrid) e Perisic (ex-Wolfsburg e hoje na Inter de Milão) e o atacante Mandzukic (ex-Bayern de Munique e atual Juventus).

Titulares em 2018, o goleiro Subasic, o zagueiro Vida, o volante Brozovic e o meia Rebic também estavam em 2014, mas eram reservas. Corluka era titular em 2014 e é opção no banco na atualidade, enquanto Kovacic foi reserva em ambas as edições da Copa.

Apesar dos nomes parecidos, as campanhas nos Mundiais foram bem diferentes. Sob o comando de Zlatko Delic, o grupo croata cresceu e surpreendeu na Copa do Mundo. Terminou a fase com 100% de aproveitamento, após bater Nigéria, Argentina e Islândia, passou nos pênaltis por Dinamarca, nas oitavas, e Rússia, nas quartas, até eliminar a Inglaterra, na prorrogação, para garantir lugar na final.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!