Com orçamento de R$ 80 milhões, Cruzeiro atinge dívida de R$ 800 milhões


Rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro atinge dívidas de R$ 800 milhões. O anúncio foi feito, nesta sexta-feira, pelo Núcleo Dirigente Transitório, responsável pela gestão do clube desde o dia 23 de dezembro.

Segundo balanço das atividades feitas para a reestruturação do clube, 98 funcionários (entre CLT e PJ) já foram demitidos, em processo que ainda está em andamento, e a economia estimada até agora é de R$ 25 milhões por ano.

Outra medida a ser tomada será a venda de mais de 50% da frota de veículos do clube. Um levantamento geral de todos os departamentos está sendo feito para analisar situações que ainda possam gerar mais economia, além de um estudo para um melhor aproveitamento dos imóveis, com redução de custos e visando rentabilidade. Para isso são avaliados todos os aspectos jurídicos e fiscais.

“Tínhamos um orçamento que no ano passado era de 350 milhões de reais e agora caiu para 80 milhões de reais. E a cada dia que passa nós temos uma surpresa, com contratos fora da realidade, que prejudicam o Cruzeiro e nos colocam em uma situação de vulnerabilidade. As dívidas, que inicialmente estavam orçadas em 700 milhões, hoje já ultrapassaram 800, e ainda não é um número preciso, porque a cada hora vão aparecendo mais coisas”, disse Saulo Fróes, presidente do núcleo gestor, ao destacar as ações que já foram implementadas até o momento.

“Mas doa a quem doer. Todas as irregularidades que foram cometidas na gestão passada serão levadas à justiça e o Cruzeiro está aberto para as autoridades a qualquer hora. Este conselho gestor não compactua com nenhum tipo de irregularidade. Estamos cobrando das autoridades, para saber do andamento dos processos”, afirmou Saulo.

“Temos que ser realistas. A nossa prioridade hoje é dar condição para que o clube consiga sobreviver, para depois almejar algo mais lá na frente. Estamos iniciando um processo longo de reconstrução, a retomada de uma instituição gigantesca como o Cruzeiro. O torcedor é a peça mais importante neste processo para ajudar na reconstrução do clube e ele precisa acreditar nisso: é difícil, mas o Cruzeiro vai se reerguer. O programa de sócios já está em fase bem adiantada, vamos lançá-lo nos próximos dias, e estamos estudando outras maneiras também para que o torcedor consiga ajudar o Cruzeiro”, disse o dirigente.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora