Com 3 promotoras, MP vai acompanhar o ‘caso Neymar’


O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) determinou que três promotoras de Justiça acompanhem a acusação de estupro contra o atacante Neymar feita pela modelo Najila Trindade no dia 31 de maio, na 6.ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista. A portaria 7807/19 com as designações foi publicada no “Diário Oficial” do último sábado.

As promotoras de Justiça de Enfrentamento à Violência Doméstica Estefânia Ferrazzini Paulin, Flávia Cristina Merlini e Katia Peixoto Vilani Pinheiros Rodrigues foram designadas para acompanhar o inquérito policial em que é investigada a suposta agressão sexual que teria sido cometida, em Paris, na França, no dia 15 de maio.

Neymar deve ser ouvido no final da semana, mas existe possibilidade de que seja nesta quinta-feira. As autoridades e o estafe do jogador planejam o método mais seguro para o comparecimento do jogador à zona sul de São Paulo antes de divulgarem a data exata do depoimento. Um segurança de Neymar esteve na delegacia na segunda para analisar a estrutura do local.

A exemplo do que aconteceu no depoimento de Najila Trindade, na última sexta-feira, o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil estará na delegacia para garantir a segurança e restringir o acesso de curiosos no lugar. O número de policiais, no entanto, deverá ser reforçado, pois houve pequeno tumulto durante na chegada da modelo à delegacia.

Esse será o segundo depoimento de Neymar sobre o caso. O primeiro aconteceu no Rio de Janeiro, no último dia 6, quando o atleta falou na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática por causa do vazamento de imagens íntimas da modelo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora