Botafogo sofre, mas vira sobre o Madureira e fatura 2ª vitória no Carioca

O Botafogo sofreu na noite desta segunda-feira, mas conseguiu enfim conquistar a sua segunda vitória neste Campeonato Carioca - e…


O Botafogo sofreu na noite desta segunda-feira, mas conseguiu enfim conquistar a sua segunda vitória neste Campeonato Carioca – e a primeira nesta Taça Rio. Com uma virada, o time de Zé Ricardo derrotou o Madureira por 2 a 1, no Engenhão, no Rio de Janeiro, e voltou a respirar no Estadual. O duelo ainda teve o fim do jejum de Kieza, autor do segundo e decisivo gol dos mandantes.

Ainda sem poder contar com o recém-contratado Diego Souza, seu principal reforço para a temporada, o Botafogo chegou a flertar com a zona de rebaixamento do Carioca, na classificação geral. Agora, com o segundo triunfo, afastou, ainda que provisoriamente, a ameaça.

Além disso, chegou aos quatro pontos no Grupo C da Taça Rio, o segundo turno do Carioca, e voltou a sonhar com a classificação à semifinal. Agora é o quarto colocado, a três pontos do líder Flamengo. Na Taça Guanabara, o time decepcionara ao ser eliminado ainda na fase de grupos.

O triunfo vem em boa hora para o Botafogo porque o time tem um clássico pela frente no fim de semana. No domingo, o rival será o Fluminense, no Maracanã. O Madureira visitará o Resende, no sábado.

O JOGO – Em busca da primeira vitória na Taça Rio, o Botafogo entrou em campo pressionado nesta segunda. E a situação não ficou mais fácil quando logo aos quatro minutos de jogo Kieza desperdiçou uma das melhores oportunidades da partida. Em lançamento em profundidade, ele ficou com a cara com Douglas, mas parou na defesa do goleiro.

A sensação de frustração aumentou sete minutos depois. Sem aproveitar sua chance, o Botafogo viu o Madureira abrir o placar em lance de pouca sorte dos anfitriões. Naninho acertou bela enfiada para Bruno, que escapou entre a marcação e bateu na saída de Gatito. O goleiro fez a defesa, mas a bola voltou contra os pés de Marcinho, que acabou mandando para as redes do Botafogo.

O gol desanimou o time mandante, que não conseguia criar chances ou mesmo assustar a defesa rival. Lento e pouco agressivo, o Botafogo parecia aceitar o revés. O time só passou a crescer em campo aos 31 minutos, quando Cícero caprichou na cobrança de falta e carimbou o travessão.

O lance “acordou” o Botafogo, que passou a demonstrar postura mais ofensiva. Nos últimos dez minutos da primeira etapa, a equipe cercou a área do Madureira e tentava impor pressão, embora com certas limitações no ataque. A melhor oportunidade foi novamente com Cícero, cujo forte chute parou novamente em Douglas.

Depois da apatia do primeiro tempo, o anfitrião voltou mais ligado para a etapa final. Acelerado, mostrava mais intensidade do que criava chances de gol. Mesmo assim, assustou a defesa visitante. O empate acabou vindo aos 16 minutos. Gustavo lançou na área e Gustavo Ferrareis dominou no peito (a defesa pediu toque de mão) e ajeitou para Jonathan encher o pé e marcar belo gol.

Depois do empate, o técnico Zé Ricardo colocou em campo os experientes João Paulo e Rodrigo Pimpão e o jovem Igor Cássio, que entrou no lugar de Luiz Fernando – deixou o gramado sob vaias.

A virada veio, porém sem a participação dos “reforços”. Marcinho, “vilão” no gol do Madureira, acertou cruzamento na cabeça de Kieza, que desta vez não decepcionou. No lance, cabeceou bonito e acertou o travessão. A bola voltou contra a cabeça de Douglas e entrou. O gol teve sabor de alívio para o atacante, que ainda não havia marcado no ano. Na verdade, ele quebrou um jejum, que vinha desde o fim de setembro do ano passado e assegurou o triunfo dos anfitriões.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 x 1 MADUREIRA

BOTAFOGO – Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Jonathan; Gustavo Bochecha (João Paulo), Cícero, Luiz Fernando (Igor Cássio), Gustavo Ferrareis (Rodrigo Pimpão); Kieza e Erik. Técnico: Zé Ricardo.

MADUREIRA – Douglas; Arlen, Junior Lopes, Pierre e Rezende; Levi, Rodrigo Dantas, Bruno (Welber), Luciano Naninho (Everton); Marlon (Derek) e Cláudio Maradona. Técnico: Gaúcho.

GOLS – Marcinho (contra), aos 11 minutos do primeiro tempo. Jonathan, aos 16, e Kieza, aos 39 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Marlon, Marcelo Benevenuto, Everton, Pierre, Levi.

ÁRBITRO – Rodrigo Carvalhaes de Miranda.

RENDA – R$ 82.155,00.

PÚBLICO – 3.344 pagantes (5.737 no total).

LOCAL – Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!