Autor de 2 gols após sair do banco, Cheryshev evita cobrar titularidade na Rússia

Denis Cheryshev, camisa número seis da Rússia, estava feliz demais após a partida desta quinta-feira. Ele nasceu em Nijni Novgorod,…


Denis Cheryshev, camisa número seis da Rússia, estava feliz demais após a partida desta quinta-feira. Ele nasceu em Nijni Novgorod, uma das sedes da Copa do Mundo de 2018 na Rússia, mas formou-se como jogador de futebol na Espanha. Filho do ex-jogador Dmitriy Cheryshev (que atualmente trabalha como auxiliar-técnico no Sevilla), o atleta de 27 anos, e que nunca jogou por nenhum clube de seu país, entrou em campo aos 24 minutos do primeiro tempo, após a lesão de Dzagoev. Com categoria, marcou dois belos gols, um em cada tempo, e liderou seu time no triunfo por 5 a 0 sobre a Arábia Saudita, em Moscou, na estreia da Copa do Mundo de 2018.

“Eu estou muito feliz pela minha equipe, pela minha família. Estou muito contente, mas isso não significa que vamos relaxar. Vamos continuar trabalhando duro pela Rússia”, afirmou o jogador após a partida em entrevista coletiva.

Começar a Copa no banco não foi um problema para Cheryshev. “Eu já estou muito feliz apenas por estar no grupo de 23 jogadores que defendem a Rússia. Não vejo problemas em começar no banco. Eu respeito as ordens do meu treinador e não tenho o direito de ficar irritado por começar na reserva. Não tem problema nisso. Insisto: estou muito contente em ser mais um nesse elenco. Todos somos do mesmo nível”, disse o atleta.

Cheryshev ainda afirmou que “todos no elenco haviam sonhado com uma noite como essa” e que a vitória não poderia “relaxar” a equipe. Sobre os seus gols, ele manteve a “humildade”. Ele foi até questionado se isso era resultado dos seus treinamentos na Espanha – o jornalista russo que fez a pergunta afirmou categoricamente que no campeonato nacional, os jogadores dos times russos nunca marcam gols como os que ele fez contra a Arábia Saudita.

“Não, não é isso. Não é por causa da Espanha”, respondeu, em espanhol fluente (ele também respondeu perguntas em russo e em inglês). Isso aí a gente trabalha. Treinamos isso nos últimos dias. Eu só tentei controlar a bola nas duas chances e chutar. Para falar a verdade, não deu nem tempo de pensar muito. Apenas recebi a bola, dominei e chutei”, finalizou o novo ídolo do futebol da Rússia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!