Árabes sinalizam repasse ao Rio Branco por Romarinho

Al-Ittihad comprou o jogador revelado pelo Rio Branco pela quantia de 4 milhões de euros e precisa pagar uma parcela ao clube americanense


Foto: Arquivo - O Liberal
Atacante Romarinho defendeu o Tigre entre julho de 2008 e abril de 2010, dos 18 aos 20 anos

O Al-Ittihad, da Arábia Saudita, sinalizou que vai remunerar o Rio Branco pela transferência do atacante Romarinho. O clube árabe comprou o jogador em agosto de 2018, por cerca de 4 milhões de euros, e precisa pagar 0,86% do montante para o Tigre.

Na última sexta-feira, o Al-Ittihad comunicou ao Rio Branco, por e-mail, que pretende fazer o pagamento nos próximos dias. A informação foi revelada por Claudio Bonaldo, advogado do clube americanense.

Conforme o regulamento de transferências da Fifa, 5% do valor de cada transação internacional deve ser dividido entre os clubes em que o atleta trabalhou dos 12 aos 23 anos. Romarinho defendeu o Tigre entre julho de 2008 e abril de 2010, dos 18 aos 20 anos.

Então, em qualquer negociação que envolva o atacante, o Rio Branco tem direito a 0,2% referente ao período proporcional de 2008, 0,5% referente ao ano inteiro de 2009 e 0,16% referente ao período proporcional de 2010. Os cálculos foram feitos por Éder Duarte, advogado do clube na área desportiva.

No caso da compra efetuada pelo Al-Ittihad, o percentual total equivale a R$ 150 mil, aproximadamente. Porém, mesmo que haja o pagamento, o dinheiro pode ser retido pela Justiça, em razão de um processo piloto que reúne ações trabalhistas contra o Tigre.

O Al-Ittihad contratou Romarinho junto ao Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, 13 meses atrás. De acordo com a Fifa, o comprador deve remunerar os clubes formadores em até 30 dias, contados a partir da transferência. Bonaldo enxerga esse atraso com normalidade.

“O prazo é esse, mas, infelizmente, não é cumprido, por incrível que pareça”, disse. Segundo ele, o Rio Branco notificou o Al-Ittihad sobre o assunto ainda no ano passado, em outubro ou novembro.

O Tigre recebeu uma resposta do clube árabe apenas na última sexta, momentos após a reportagem ter questionado a Fifa a respeito do prazo de pagamento. O LIBERAL também perguntou para a entidade, por e-mail, se haverá alguma punição para o Al-Ittihad, mas não houve retorno.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora