Após empate ‘amargo’, Jesus quer Flamengo mais forte possível contra o Grêmio


Perto da conquista do título do Campeonato Brasileiro, o Flamengo tem mostrado força ofensiva para vencer as partidas e manter uma longa invencibilidade – 23 jogos. No entanto, a mesma força não tem sido vista na parte defensiva e isso já gera preocupação para o técnico Jorge Jesus, que admitiu um “sabor amargo” no empate por 4 a 4 no clássico contra o Vasco, na noite de quarta-feira, no Maracanã, já que o seu time estava ganhando até os acréscimos do segundo tempo.

“Quem veio ao Maracanã ver o jogo, independentemente do time, saiu daqui com um espetáculo, um excelente jogo. Para o Flamengo foi um resultado amargo. Mas somamos mais um ponto, poderiam ser mais dois, mas estamos a cinco rodadas do final. Independentemente dos objetivos de cada um, um dérbi é sempre complicado, em qualquer país, seja no Brasil ou em Portugal. Tudo se altera, se transforma, e normalmente quem está mais embaixo na classificação se transforma ainda mais”, disse o treinador português.

No próximo dia 23, o Flamengo fará a final da Copa Libertadores contra o River Plate, em Lima. Antes, o time carioca enfrentará o Grêmio, neste domingo, em Porto Alegre, pelo Brasileirão. Com os desfalques certos de Willian Arão, Gerson e Bruno Henrique, que receberam o terceiro cartão amarelo, Jesus revelou que vai pensar bastante no time que escalará, mas quer colocar em campo a melhor equipe possível.

“É verdade que o jogo do Grêmio antecede a final que toda a nação do Flamengo sonha. Portanto, temos que pensar, mas a equipe não será a mesma, temos três jogadores suspensos. Vamos olhar o que é mais importante para o clube, que está próximo de conquistar dois títulos. Vamos pensar uma forma para que o time não fique desequilibrado e possa somar pontos contra o Grêmio. Qualquer ponto nesse momento é importante e vamos pensar no time que vamos mandar a campo. Temos o máximo de respeito pelos jogadores, comissão técnica e torcedores do Grêmio. Olhamos para o Grêmio como nosso rival e nada mais do que isso”, comentou.

Além do desempenho defensivo de sua equipe, o que Jesus não gostou nem um pouco no Maracanã foi a confusão entre jogadores, comissão técnica e dirigentes após o final da partida. O treinador rubro-negro criticou, sem saber o nome, o gerente de futebol vascaíno André Souza, que teria agredido o atacante Gabriel.

“Situações de bate boca são normais. Mas quando dirigente entra no meio e agride os jogadores, como fez o senhor do Vasco que não me interessa saber o nome, é grave. Foi falta de respeito ao Vasco, que tem história. Esse senhor não tem capacidade para estar no Vasco”, afirmou. “Mas não vou falar de arbitragem. Tomamos quatro gols por mérito do Vasco e também porque não fomos uma equipe equilibrada. Foi um espetáculo maravilhoso no ponto de vista do futebol. Houve muitos erros defensivos, mas isso é do jogo. Se não houvesse erro, seria sempre 0 a 0”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora