22 de maio de 2022 Atualizado 18:29

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

BLOQUEIO PRÉVIO

Justiça penhora valor que o Rio Branco teria direito em eventual venda de Vanderson

Dono de um percentual do lateral gremista, Rio Branco terá desconto de R$ 2 milhões; caso envolve a antiga sede social

Por Rodrigo Alonso

20 Outubro 2021, às 07h15

A Justiça de Americana penhorou R$ 2 milhões do valor que seria repassado para o Rio Branco numa eventual transferência do lateral-direito Vanderson, atualmente no Grêmio de Porto Alegre (RS). A decisão foi tomada pela 1ª Vara Cível no mês passado, num processo que envolve a antiga sede social do Tigre.

O pedido de penhora teve como base reportagens que colocam o Rio Branco como dono de 50% dos direitos econômicos do jogador e que indicam uma possível ida do atleta para o Brentford, da Inglaterra.

Jogador de 20 anos atua como titular no Tricolor de Porto Alegre – Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

O dinheiro retido iria para um corretor de imóveis que cobra judicialmente o pagamento de comissão por uma negociação envolvendo a extinta sede social. O imóvel ficava na Rua Fernando de Camargo, no Centro.

O caso aconteceu em 2010. À época, esse corretor intermediou a venda da sede para uma empresa de Ribeirão Preto, pela quantia de R$ 10 milhões. Mas, por fim, o negócio não se concretizou – o imóvel acabou vendido apenas em 2013, para outra empresa.

No entanto, os envolvidos chegaram a formalizar um “compromisso de compra e venda”. O documento previa comissão de R$ 300 mil para o corretor, que não recebeu o valor amigavelmente e, portanto, acionou a Justiça.

Em 2015, o TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) decidiu contra o Rio Branco. No ano seguinte, o corretor entrou com um processo de cumprimento de sentença na 1ª Vara Cível.

Ainda em 2016, a juíza Fabiana Calil Canfour de Almeida determinou que, num prazo de 15 dias, o clube pagasse R$ 981 mil, quantia corrigida após acréscimo de juros, multa e honorários. O pagamento não aconteceu, e o valor subiu ainda mais desde então.

Bloqueio
O corretor solicitou a penhora em agosto. No documento, seu advogado incluiu duas notícias publicadas pelo site GE.

O mesmo portal também noticiou, em agosto, que o Grêmio pagou R$ 200 mil ao Rio Branco por 20% dos direitos de Vanderson. Então, o Tigre agora teria 30%. O clube americanense, no entanto, não confirma a informação.

A Justiça vai bloquear, no máximo, R$ 2 milhões do Rio Branco caso o clube receba algum montante referente a uma eventual transferência do jogador de 20 anos, que atua como titular no Grêmio e passou pela categoria Sub-17 do Tigre em 2018.

Atleta passou pela categoria Sub-17 do clube americanense em 2018 – Foto: Reprodução / Facebook

A 1ª Vara Cível chegou a enviar um ofício para CBF, que se manifestou dizendo não ser possível o bloqueio dessa quantia por parte da entidade, pois eventuais valores referentes a transferências de atletas são transacionados diretamente entre os clubes envolvidos.

Procurado pelo LIBERAL, o vice-presidente de futebol e jurídico do Rio Branco, Claudio Bonaldo, disse ter recebido a decisão sobre a penhora apenas nesta terça-feira (19). “Irei analisar principalmente a questão dos valores”, afirmou.

A reportagem também procurou o advogado que representa o corretor. O profissional destacou apenas que o crédito ao qual seu cliente tem direito é alimentar, condição que o coloca em posição preferencial.

Publicidade