28 de novembro de 2020 Atualizado 14:30

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana FL

Jogador do Americana FL, Fumagalli mora na cidade até hoje

“Vinda do Americana foi muito boa para minha vida pessoal e profissional”, lembra o jogador, que foi artilheiro da única temporada do time

Por Ingrid Lopes*

18 out 2020 às 07:07 • Última atualização 18 out 2020 às 07:51

José Fernando Fumagalli ou apenas Fumagalli. Meio-campista. Ídolo do Guarani e destaque do Americana Futebol Ltda. na única temporada do time, cujo anúncio da chegada ao município completou 10 anos na última semana e motivou a série de reportagens publicada pelo LIBERAL até este domingo.

O ex-jogador ainda colhe os frutos de sua passagem pelo estádio Décio Vitta. Aos 43 anos, hoje aposentado, mora com a família em Americana desde que foi contratado para compor o elenco do time do empresário Sony Douer, em 2011.

“Hoje meu escritório é aqui, minha família mora aqui e está adaptada a Americana. Já são nove anos”, destaca o ex-jogador – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Para o jogador, a recepção da população e dos torcedores, além da proximidade com os familiares, foram questões fundamentais para que ele e a esposa se adaptassem à cidade e decidissem ficar, mesmo após Sony ter manifestado o desejo de contar com Fumagalli no retorno do Americana para Guaratinguetá e diante de propostas de grandes clubes em outros estados.

“Hoje meu escritório é aqui, minha família mora aqui e está adaptada a Americana. Já são nove anos. Eu voltei para o Guarani no ano seguinte, em 2012, e eu ia e voltava todos os dias. Essa vinda do Americana foi muito boa para minha vida pessoal e profissional”, explica.

Artilheiro do Americana, com 12 gols na temporada entre o Campeonato Paulista e a Série B do Brasileiro, Fumagalli acredita que a troca de comando durante o torneio nacional prejudicou o desempenho da equipe.

“O grupo estava muito fechado, comprometido com o trabalho do Sérgio [Guedes] e aí o grupo sentiu essa mudança de filosofia de trabalho, de comando, e o Roberto [Fernandes] não conseguiu tirar algo mais desse grupo. De repente o Sérgio conseguiria tirar mais daquele grupo. A gente tinha mais para entregar”, afirma.

Embora tenha feito boas campanhas no Paulista e no Brasileiro, o jogador destaca que o time não alcançou os resultados esperados, mas, apesar disso, a passagem pelo Décio Vitta foi fundamental para sua carreira. Após a rescisão do contrato com o Americana, Fumagalli retornou ao Guarani, onde ficou até 2018, quando deixou os gramados.

Em 2012, o meia foi eleito craque do interior do Campeonato Paulista pela FPF (Federação Paulista de Futebol). Neste mesmo ano, o Bugre foi vice-campeão estadual, perdendo a final para o Santos, que na época era comandado por Muricy Ramalho e contava com Ganso e Neymar no elenco.

“Isso foi reflexo do trabalho que eu fiz no Americana no ano anterior”.
Atualmente, Fumagalli é sócio de uma empresa de agenciamento de atletas. Ele utiliza sua experiência dentro e fora de campo para atuar na recolocação de jogadores no mercado. E ainda cuidar da carreira de jovens talentos.

*Estagiária, sob supervisão de Bruno Moreira.

Publicidade