13 de julho de 2024 Atualizado 21:56

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

EM CASA

Atletas olímpicos treinam em Americana após conclusão da temporada

Representantes do município em Tóquio, Felipe Bardi e Murilo Sartori passam o fim de ano na cidade e miram os Mundiais de 2022

Por Rodrigo Alonso

28 de dezembro de 2021, às 20h40 • Última atualização em 28 de dezembro de 2021, às 21h52

Representantes de Americana nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o velocista Felipe Bardi e o nadador Murilo Sartori passam o final de ano na cidade, onde seguem normalmente a rotina de treinos. A temporada 2021 acabou, mas os atletas já pensam nos campeonatos mundiais de 2022.

Atleta do Sesi, Felipe Bardi não tem tempo para descanso, mesmo nas férias – Foto: Arquivo pessoal

Bardi, que mora e treina em Santo André, tem frequentado a pista do Centro Cívico durante sua estadia em Americana.

“Tem dias que tenho musculação, dias que eu tenho treino de pista. Sigo utilizando a famosa pista de atletismo de Americana, de onde eu saí. Então, me sinto muito bem, estou em casa, treinando em casa, perto da família”, disse o atleta do Sesi São Paulo.

Apenas uma escada o separa da piscina na qual Sartori realiza seus treinamentos. O americanense, que fica no município até 2 de janeiro, tem se preparado com a ajuda do técnico Fabio Cremonez, com quem já trabalhava até agosto deste ano, quando foi para os Estados Unidos.

Murilo Sartori fica até dia 2 em Americana, onde treina no Centro Cívico – Foto: Arquivo pessoal

“É bem legal essa parte de poder voltar, treinar no Centro Cívico com o Fabio, com algumas pessoas da equipe”, afirmou o nadador de 19 anos, que atualmente defende a Universidade de Louisville.

No entanto, essa não é a única mudança pela qual Sartori passou neste ano. O atleta também se consolidou, ao longo de 2021, como um integrante da Seleção Brasileira Adulta, com direito a participação nas Olimpíadas e medalha de bronze no Mundial em piscina curta, no revezamento 4×200 metros livre.

“Foi a melhor temporada da minha vida”, declarou. “Agora que eu estou na seleção principal, não quero mais sair”, acrescentou o nadador.

Objetivos
Para o ano que vem, Sartori e Bardi têm um objetivo em comum: ir ao Mundial das respetivas modalidades.

O velocista está de olho, primeiro, no Mundial de Atletismo Indoor. Disputado em local coberto, o torneio acontece em março, na Sérvia. “Estou treinando para eu consolidar ainda mais a minha vaga”, apontou. Em julho, também haverá o Mundial de Oregon, nos Estados Unidos.

Diante de tantos compromissos, não há tempo para descanso, mesmo nas férias. “Não posso tirar o pé agora por ser final de ano, período de festas, porque senão não vou conseguir chegar bem para o ano que vem”, comentou o atleta de 23 anos.

Sartori, por sua vez, buscará um lugar no Mundial em piscina longa, marcado para maio, no Japão. A seletiva será o Troféu Maria Lenk, previsto para abril, no Rio de Janeiro. “Mais uma vez, quero fazer parte da equipe”, ressaltou.

Publicidade