15 de julho de 2024 Atualizado 23:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Em 6 minutos, Holanda vira contra a Turquia e conquista última vaga das semis da Eurocopa

Por Agência Estado

07 de julho de 2024, às 11h08

A Holanda venceu a Turquia de virada por 2 a 1 e conquistou a quarta e última vaga das semifinais da Eurocopa, neste sábado, no estádio Olímpico de Berlim, na Alemanha. Campeã da edição de 1988, a Holanda agora enfrenta a Inglaterra, que venceu a Suíça nos pênaltis, na quarta-feira por uma vaga na decisão.

A Holanda passou todo o primeiro tempo sem conseguir finalizar ao gol de Gunok e conseguiu a virada em 6 minutos no segundo tempo após sufocar o time turco, que havia se classificado às quartas de final depois de aguentar pressão austríaca em seu primeiro jogo de mata-mata. Os gols da Holanda foram de De Vrij e Muldur (contra).

O gol turco foi marcado pelo zagueiro Akaydin aos 35 minutos do primeiro tempo e foi o desdobramento de um episódio que envolveu futebol e política durante a semana. Herói da Turquia nas oitavas de final ao marcar duas vezes na vitória sobre a Áustria, o zagueiro Merih Demiral foi suspenso por duas partidas na Eurocopa como punição por ter feito um gesto considerado extremista na comemoração de um dos gols.

A medida da Uefa gerou controvérsia. Demiral afirmou que foi uma expressão do orgulho nacional sem “nenhuma mensagem escondida”. No país-sede da Eurocopa, a ministra do Interior da Alemanha, Nancy Faeser, disse que o gesto do jogador era inaceitável. Em resposta o porta-voz do partido do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, Omer Celik, disse que aqueles procuram “o racismo e o fascismo” deviam se concentrar nos resultados eleitorais recentes em diferentes países do continente.

Com o desfalque de Demiral, o técnico italiano Vicenzo Montella optou por Akaydin para substituí-lo. Além de formar com eficiência a sólida linha defensiva turca, que não permitiu nenhum chute da Holanda em direção ao gol no primeiro tempo, o zagueiro que defendeu o Panathinaikos na última temporada também conseguiu suprimir a ausência do compatriota no ataque.

Após uma cobrança de escanteio pela esquerda, a bola sobrou para o meia Arda Güller pelo lado direito. O meia de 19 anos do Real Madrid teve tempo para dominar, olhar a posição de seus companheiros e levantar na segunda trave. Três jogadores de branco subiram para tentar a finalização, mas quem subiu foi Akaydin, de 1,90 m, mesma altura de Demiral.

Como já era esperada a forte marcação turca, a Holanda começou a partida com velocidade e com um minuto já tinha feito sua primeira finalização, com Depay, mas sem direção. Os holandeses tinham mais posse de bola, trocavam mais passes, mas criavam poucas chances de gol.

No segundo tempo, o técnico da Holanda, Ronald Koeman, resolveu mudar o esquema e apostou no grandalhão Weghorst (1,97 metro) no lugar da velocidade de Bergwijn, que pouco apareceu no primeiro tempo. Com a opção das bolas alçadas na área, a Holanda passou a levar mais perigo.

A Turquia tentava contra-atacar em velocidade e conseguiu chegar com perigo, mas a pressão da Holanda fez efeito aos 25 minutos em uma bola pelo alto. Após cobrança curta de escanteio, Depay levantou na área da Turquia. O zagueiro De Vrij subiu sozinho na altura da marca de pênalti e empatou o jogo. A virada aconteceu seis minutos depois. Dumfries cruzou rasteiro da direita e Gakpo apareceu na segunda trave para finalizar. Pressionado pelo atacante holandês, o defensor Muldur acabou tocando para o próprio gol.

O jogo ficou dramático no final, com os turcos partindo para o ataque e os holandeses tentando encaixar um contra-ataque para consolidar a vitória. Nos acréscimos, o goleiro Verbruggen apareceu com grande defesa para evitar o empate e garantir a Holanda na semifinal.

Publicidade