28 de maio de 2020 Atualizado 21:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Velocidade

‘Chocadas’, equipes da F-1 ameaçam processar FIA por acordo com a Ferrari

Por Agência Estado

04 mar 2020 às 09:09 • Última atualização 27 abr 2020 às 12:06

“Chocadas” e “surpresas”, as principais equipes da Fórmula 1 vieram a público nesta quarta-feira para repudiar o acordo entre a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e a Ferrari a respeito das investigações sobre o motor utilizado pela equipe italiana em 2019. Em comunicado conjunto, Mercedes, McLaren, Racing Point, Williams, Renault, Red Bull e AlphaTauri (novo nome da Toro Rosso) cogitaram até entrar na Justiça contra a entidade.

Os únicos times a não assinar o comunicado foram a Haas e a Alfa Romeo, que são clientes da Ferrari. A dupla compra os motores da fornecedora italiana. A Haas, além disso, recebeu apoio técnico para outras áreas do carro.

“Nós, as equipes que aqui assinam, ficamos surpresas e chocadas com o comunicado da FIA de sexta-feira, dia 28 de fevereiro, a respeito da conclusão da investigação da unidade de potência da Ferrari na Fórmula 1”, diz o comunicado assinado por sete times.

Eles se referem a outro comunicado, divulgado pela própria FIA na sexta-feira passada. Naquele documento, a entidade revelava ter feito acordo com a Ferrari após investigar o motor do time, alvo de suspeita dos rivais em razão da forte evolução na segunda metade do campeonato passado.

A FIA admitia a investigação sem revelar o resultado de sua apuração. E ainda apontava um acordo, cujos termos não foram revelados. “Os detalhes deste acordo vão ficar entre as partes. A FIA e a equipe Ferrari concordaram em uma série de compromissos técnicos que vão melhorar o monitoramento de todos os motores da Fórmula 1 nos próximos campeonatos, assim como ajudar a FIA em outras tarefas regulatórias da F-1 e em suas pesquisas de emissão de carbono e combustíveis sustentáveis”, dissera a entidade.

Diante da falta de informações sobre este acordo envolvendo o time italiano, as demais equipes da F-1 não esconderam a revolta. “Uma entidade reguladora esportiva internacional tem a responsabilidade de agir de acordo com os mais altos níveis de governança, integridade e transparência. Após meses de investigações realizadas pela FIA, feitas apenas após pedidos de outras equipes, nós questionamos fortemente a chegada a um acordo confidencial entre a FIA e a Ferrari para encerrar esse assunto.”

No comunicado, os sete times levantaram a possibilidade de acionar a Justiça como resposta ao acordo misterioso. “Afirmamos publicamente nosso compromisso em perseguir uma explicação completa e apropriada sobre este assunto, garantindo que nosso esporte trate todos os competidores de forma justa e igual. Fazemos isso pelos fãs, participantes e acionistas da F-1. E, por fim, nos reservamos o direito de buscar reparação legal, dentro dos processos legais da FIA e diante das cortes competentes.”