16 de julho de 2024 Atualizado 10:01

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Capitã da seleção de vôlei, Gabi se transfere para o italiano Conegliano: ‘Pérola brasileira’

Por Agência Estado

03 de julho de 2024, às 17h39

Considerada uma das melhores ponteiras do vôlei mundial e capitã da seleção, Gabi está de clube novo para a próxima temporada. Depois de cinco anos defendendo as cores do forte VakifBank Istanbul, da Turquia, ela foi oficializada nesta quarta-feira no italiano Conegliano. Chegou para ser uma das estrelas e foi definida como “pérola brasileira” pela equipe.

“Prosecco DOC Imoco Conegliano anuncia a chegada de Gabi, a carismática brasileira Gabriela Braga Guimarães, atualmente considerada a melhor ponta do mundo, a última pérola de um precioso colar que estará à disposição do técnico Santarelli para a temporada 2024/25. Uma equipe de “números” que terá pela frente uma temporada cheia de compromissos e objetivos entre a Supertaça da Itália, o Campeonato, a Taça de Itália, a Liga dos Campeões e o grande regresso ao Mundial de Clubes que será disputado em dezembro, na China”, anunciou o clube italiano.

O Conegliano está montando uma equipe forte, mirando muitas conquistas na próxima temporada e este foi um dos motivos para Gabi aceitar a proposta. Ela vai jogar ao lado da levantadora polonesa Asia Wolosz e explicou que não foi fácil deixar a Turquia, mas gostaria de novos desafios aos 30 anos.

“Sou movida por desafios e senti que era hora de enfrentar outro. O Conegliano é um dos melhores times do mundo, com um campeonato nacional muito importante que reúne muitas das melhores jogadoras. Estar na Europa é muito importante para mim, disputar a Liga dos Campeões e o Campeonato Italiano significa estar em alto nível e sempre me esforçando”, disse Gabi. “Agora haverá novos desafios, uma nova forma de trabalhar e crescer individualmente e em grupo.”

A apresentação oficial na nova casa ocorre somente após a disputa dos Jogos Olímpicos de Paris, que começam no próximo dia 26. Até lá, ela mantém a concentração na busca pela medalha na França antes de reforçar um clube que já enfrentou bastante.

“Enfrentar o Conegliano sempre foi muito difícil, um clube muito bem estruturado, feito para vencer, com torcedores muito apaixonados e jogadores de muito sucesso”, avaliou. “Então me sinto muito bem, é o ambiente ideal para mim porque sei que vou achar tudo isso e é estimulante. A atmosfera e o ambiente serão diferentes dos últimos anos, será um enorme desafio para mim”, seguiu. “Novas experiências sempre nos tiram da zona de conforto, mas me sinto preparada para o nível deste grande desafio. Meu desejo é oferecer a máxima contribuição possível da minha parte para ajudar a equipe a atingir todos os seus objetivos.”

A brasileira aproveitou para elogiar Wolosz e o técnico Santarelli, segundo ela, os motivos para aceitar trocar de equipe na Europa. “Asia Wolosz é atualmente uma das melhores levantadoras do mundo, tem um estilo de jogo muito rápido, que gosto muito, e também é uma líder do time”, elogiou. “Quando tenho a ideia de jogar em equipe, sempre considero quem são o técnico e a levantadora, porque essas posições são fundamentais. A presença do técnico Santarelli e de uma levantadora como a Wolosz, que respeito muito, ajudaram na minha escolha. São pessoas de sucesso que conquistaram muito nos últimos anos. Com certeza será uma oportunidade incrível para eu aprender muitas coisas e crescer ainda mais.”

Publicidade