Seleção leva ouro após 28 anos com americanenses

Com as jogadoras Débora Costa, Stephanie Soares e Iza Sangalli, além de Adriana Santos e Virgil Lopez na comissão técnica, Brasil bate EUA por 79 a 73


Com atletas de Americana e outros profissionais ligados à cidade na comissão técnica, a seleção brasileira feminina de basquete encerrou um jejum de 28 anos nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Na decisão, no fim da noite deste sábado, a equipe teve ótima atuação e derrotou a seleção dos Estados Unidos por 79 a 73, conquistando a medalha de ouro desse evento pela primeira vez desde a icônica vitória sobre Cuba em Havana-1991.

Foto: Pedro Ramos / rededoesporte.gov.br
Meninas venceram o poderoso time norte-americano e ficaram com o ouro em Lima, no Peru

As americanenses Débora Costa, Stephanie Soares e Iza Sangalli fizeram parte do elenco campeão, com as duas primeiras inclusive atuando na partida diante do time norte-americano. O grupo contou ainda com a gerente técnica Adriana Santos, coordenadora em Americana do projeto de base ADCF Unimed/Sicoob Unimais, além do assistente técnico Virgil Lopez, marido de Adriana e que também vive na cidade.

Com a conquista, Americana quebra um jejum que já durava 44 anos de medalhas em um Pan-Americano. A última conquista do município havia sido com Athos Pisoni, no tiro esportivo, no ano de 1975, no México.

Foto: Pedro Ramos / rededoesporte.gov.br
Débora Costa tenta jogada na final do Pan, vencida pelo Brasil

Sob o comando de José Neto, que dirige a equipe em seu primeiro torneio oficial na função, a seleção teve campanha perfeita no Pan, pois na fase de grupos triunfou diante de Canadá, Porto Rico e Paraguai, depois derrotando a Colômbia nas semifinais. E a conquista no começo de um projeto dá esperanças de que o basquete feminino brasileiro volte a ser competitivo internacionalmente.

Foi uma decisão bastante equilibrada. O Brasil teve um começo forte, abrindo 14 a 8. Mas passou a cometer muitos erros, permitindo que as norte-americanas fechassem o primeiro quarto em vantagem de 22 a 20. Mas conseguiu a virada antes da saída para o intervalo, em 39 a 38.

Foto: Pedro Ramos / rededoesporte.gov.br
Stephanie Soares é outra atleta de Americana que estava no time campeão

No terceiro quarto, o Brasil teve um começo forte, especialmente na defesa. E isso acabou sendo determinante para a seleção começar o último período da decisão ganhando por 55 a 53. O equilíbrio e a emoção se repetiram no último quarto, mas a seleção brilhou para assegurar a vitória com atuação brilhante de Tainá, que fechou o duelo com 24 pontos.

Pelo Brasil, Raphaella Monteiro fez 12 pontos, assim como Erika. Na seleção dos Estados Unidos, Beatrice Mompremier somou 16 pontos e 12 rebotes.

Foto: Alexandre Loureiro / COB
Gerente técnica Adriana Santos é coordenadora do projeto de base ADCF Unimed/Sicoob Unimais

 

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora