04 de dezembro de 2020 Atualizado 10:22

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Brasileirão

Atlético-GO derruba invencibilidade de 12 jogos do Santos e vence na Vila

Com Robinho na torcida e Marinho fora por lesão, Peixe acabou derrotado por 1 a 0 nesta quarta-feira

Por Agência Estado

14 out 2020 às 22:49 • Última atualização 14 out 2020 às 23:09

Com Robinho na torcida e Marinho fora por lesão, o Santos viu sua invencibilidade de 12 jogos chegar ao fim diante do Atlético-GO, na Vila Belmiro, na noite desta quarta-feira. Chico fez um golaço e definiu o triunfo por 1 a 0 no Brasileirão.

Numa noite em que nada deu certo para o Santos, o jovem Marcos Leonardo teve a grande chance do empate aos 45 minutos do segundo tempo, mas falhou. Ele recebeu na cara de Jean e, livre, cabeceou na mão do goleiro.

Santos foi derrotado em plena Vila Belmiro pelo time goiano – Foto: Ivan Storti / Santos FC

Pela primeira vez, o Atlético-GO ganhou atuando na casa do Santos. Uma vitória maiúscula para quem tinha desfalques, perdeu Gustavo Ferrareis no início do jogo e não contava com Vagner Mancini no banco. O técnico trocou o time goiano pelo Corinthians.

Sem derrotas há 12 jogos, o Santos sabia que não bastava defender a série invicta. O time necessitava ganhar dos goianos para não deixar os líderes distanciarem. Em seis jogos contra os rivais na Vila Belmiro, um bom retrospecto: três vitórias e três empates, o que sugeria certa vantagem.

Mas havia um adversário a mais para o técnico Cuca: os desfalques. Principal jogador santista, Marinho não se recuperou das dores musculares e foi cortado da partida, assim como o zagueiro Lucas Veríssimo. Há algumas rodadas que o camisa 11 vinha “jogando no sacrifício”. O defensor atuou diante do Grêmio, mas voltou a sentir um desconforto muscular.

O Santos já não tinha o volante Alison e o meia Carlos Sánchez, machucados, o atacante Soteldo, voltando da seleção venezuelana e o volante Jobson, suspenso. Com os desfalques, Cuca “inventou” Pará de volante e Jean Mota na armação.

E, sem o astro Marinho, a missão de buscar a vitória na Vila Belmiro recaiu nos jovens Arthur Gomes, Kaio Jorge e Lucas Braga. Os garotos até vão bem quando o camisa 11 atua. Mas, sem a referência, deveram futebol no primeiro tempo.

Contratação polêmica, o atacante Robinho estava nas arquibancadas da Vila Belmiro para prestigiar o time. Mesmo sozinho, estava de máscara, e disposto a comemorar nova vitória do time. O Santos vinha de 2 a 1 no Grêmio, domingo, gols de Marinho.

O reforço viu um primeiro tempo sem nenhuma ameaça ao goleiro João Paulo, mas pouca criação e perigo na frente. Um chute de Jean Mota bem defendido por Jean foi o que o Santos teve de melhor na etapa.

O segundo tempo começou com bate-boca entre Diego Pituca e Janderson, o que prometia uma etapa mais quente. Logo depois foi a vez de Zé Roberto e Laércio se desentenderem. Ataque que é bom, porém… Cuca cansou de Lucas Braga e Arthur Gomes e com 12 minutos mudou o ataque. Lançou Tailson e Marcos Leonardo. Fôlego novo para o Santos ameaçar o gol de Jean.

Quem cresceu foram os goianos. Matheus Vargas perdeu debaixo das traves, sem goleiro. Na sequência, uma obra-prima. Janderson pegou na lateral-direita, driblou cinco marcadores cortando o campo para a esquerda. Chico recebeu, ajeitou, e bateu no ângulo de João Paulo. Um golaço na Vila Belmiro.

Em desvantagem e com muitos jovens no campo, o Santos não conseguia controlar os nervos. O técnico Cuca chegou a discutir com o árbitro e levou amarelo. Mesmo sem Vagner Mancini, que foi para o Corinthians, o Atlético-GO soube administrar a vantagem e pela primeira vez ganhou na Vila Belmiro.

O Santos desperdiçou a chance de subir na tabela e agora buscará a reabilitação fora de casa. São duas visitas, contra Coritiba e Fluminense.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 0 x 1 ATLÉTICO-GO

SANTOS – João Paulo; Madson, Laércio,Luan Peres e Felipe Jonatan; Pará (Sandry), Diego Pituca e Jean Mota (Lucas Lourenço); Arthur Gomes (Marcos Leonardo), Kaio Jorge (Anderson Ceará) e Lucas Braga (Tailson). Técnico: Cuca.

ATLÉTICO-GO – Jean; Dudu, João Victor, Éder e Nicolas; Willian Maranhão, Marlon Freitas e Chico (Natanael), Janderson (Júnior Brandão), Bruno Ferrareis (Matheus Vargas) e Zé Roberto (Hyuri). Técnico: Eduardo Souza.

GOLS – Chico, aos 22 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Pará, Sandry e Diego Pituca (Santos); Marlon Freitas, Gustavo Ferrareis e João Victor (Atlético-GO).

ÁRBITRO – Igor Junio Benevenuto (MG).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Publicidade