15 de agosto de 2020 Atualizado 12:33

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Futebol

Adilson Batista quer ficar no Cruzeiro e desabafa: ‘O Rogério Ceni tinha razão’

Por Agência Estado

08 dez 2019 às 21:23 • Última atualização 27 abr 2020 às 12:16

Adilson Batista não conseguiu livrar o Cruzeiro do rebaixamento no Campeonato Brasileiro – o time perdeu por 2 a 0 para o Palmeiras, neste domingo, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Abatido, o treinador usou a entrevista coletiva para desabafar, pedir apoio do torcedor e indicar qual será o caminho do clube para se reerguer em 2020.

O técnico chegou ao clube faltando três jogos para o término da competição. Lamentou a falta de tempo e, assim como o gestor Zezé Perrella, criticou os responsáveis pela montagem e administração do futebol do clube. E deu razão para Rogério Ceni. “Ele (Ceni) tinha muitas razões quando chegou aqui e disse que era preciso uma mudança geral, tanto de comportamento como de jogadores. Mas, sem respaldo, ele foi embora. Mas ele estava certo”, garantiu, visivelmente abatido.

E continuou explicando as razões para queda do clube à Série B após cinco derrotas consecutivas nas últimas rodadas. “Tem muita coisa errada. O Zezé (Perrella) acabou de dizer. Falta aspecto físico, qualidade. Eu quero fazer parte dessa reconstrução. É triste encarar a Série B com a grandeza do Cruzeiro”, disse o treinador.

Adilson Batista foi o quarto comandante do grupo somente no Brasileirão, atrás de Mano Menezes (13 jogos), Rogério Ceni (8) e Abel Braga (13). O técnico dirigiu o time nas últimas três rodadas e o clube ainda contou com o interino Ricardo Resende na 14.ª rodada.

O treinador também foi questionado sobre a sua permanência para o ano que vem e foi enfático ao dizer que, a partir desta segunda-feira, já iniciará conversas visando a montagem do grupo. Ele indicou que a montagem do elenco será em cima de jovens jogadores, além de atletas das categorias de base.

“Minha colaboração foi aceitar o convite neste momento difícil. Não discuti salário. Vim com a intenção de ajudar, dar o melhor. Tentei fazer o melhor. Esse processo de reconstrução, todos nós podemos colaborar”, disse o ex-zagueiro do próprio clube. “Vou ter o respaldo da diretoria do Cruzeiro (para mudanças) e amanhã (segunda-feira) vamos começar a trabalhar. Essas providências (mudanças de elenco) tinha que ser feito ontem”, completou.

Com a derrota para o Palmeiras, o Cruzeiro permaneceu na 17.ª posição, com 36 pontos conquistados. Foi rebaixado à Série B de 2020 ao lado de CSA, Chapecoense e Avaí. Em 38 rodadas, o time venceu apenas sete vezes, empatou 15 e perdeu 16 jogos.