Paciente busca alternativa ao tratamento

Barbarense Kelly Gomes foi diagnosticada com câncer em 2015 e luta contra a metástase


A operadora de caixa Kelly Gomes, de 33 anos, moradora do São Fernando, em Santa Bárbara d’Oeste, foi diagnosticada com câncer em 2015. A doença está em metástase – ou seja, se espalhou para outras partes do corpo.

O tipo de câncer que Kelly enfrenta é agressivo, e a paciente já passou por seis cirurgias ao longo do tratamento. O diagnóstico recebido foi duro: quimioterapia por toda a vida e, quando piorasse, cirurgia. No início deste ano, ela decidiu pausar o tratamento tradicional – mesmo contra a indicação do oncologista – e realizou sessões de acupuntura. Com o avanço da medicina, tratamentos alternativos ajudam a amenizar os efeitos colaterais da doença.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
“Hoje eu vivo cada dia da minha vida muito feliz, porque eu estou vivendo e lutando”, diz

“Cheguei num momento da minha vida que eu cansei, porque esse tratamento é cansativo, esgota física e psicologicamente. A gente vê todo mundo vivendo uma vida normal e você parada por causa de uma doença. Quero viver, fazer uma caminhada, ir numa academia, sair com amigos, comer coisas normais, quero ser uma pessoa normal”, contou ao LIBERAL.

Por meio de ajuda, conseguiu custear sua ida até Londrina (PR) para realizar o tratamento alternativo, que ainda precisa terminar de pagar. Kelly conversou com a reportagem semanas depois de retornar da viagem e com a quimioterapia ainda pausada.

Recentemente, ela fez uma ressonância para rastrear o avanço da doença. Além dos tumores que ela já lutava – no fígado e na coluna – uma lesão não especificada foi localizada no rim. Kelly fez exames complementares e aguarda os resultados para decidir se retoma o tratamento tradicional.

“É um sofrimento enorme, uma dor que não tem remédio, de rasgar o coração, a alma. É desesperador, porque você pensa quantas horas – não dias, quantas horas – eu vou viver. Hoje eu vivo cada dia da minha vida muito feliz, porque eu estou vivendo e lutando. E por mais que os médicos falem que não tem cura, eu tenho fé e acredito”, finalizou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora