‘Dentro da Expodeps não existe crise’, diz presidente da Acia

Dimas Zulian destacou a importância do evento, que ocorre nesta quarta e quinta-feira, para economia de Americana


Em tempos de crise, o empresário não pode ficar inerte. Pelo contrário, tem que acelerar para colocar sua empresa para andar e gerar negócios. Dentro desse cenário, a Expodeps (Feira de Soluções para Empresas e Futuros Empreendedores), que tem início hoje na Fidam, é o ambiente perfeito pare ter visibilidade, fazer contatos e impulsionar negócios. A avaliação é do presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Dimas Zulian. Em entrevista ontem à tarde ao LIBERAL, ele destacou a importância do evento para fomentar a economia do município e reforçou que “dentro da Expodeps não existe crise”.

A Expodeps chega à sua quarta edição. Qual a importância do evento hoje dentro do município?
dimas zulian É de fundamental importância. Ele aquece a economia ao criar oportunidades reais de vendas. É uma feira fomentadora de novos negócios e uma vitrine para empreendedores e empresas da cidade. No evento são reveladas muitas empresas que são potenciais fornecedoras de serviços a outras empresas participantes. Ao participar da feira, os expositores se tonam mais conhecidos. Ela propicia essa visibilidade.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Segundo Zulian, empresário sabe a importância de ter bons fornecedores de serviços para incrementar os negócios

A atual situação econômica e financeira do País repercute de alguma forma no evento?
Costumo dizer que a feira é um ambiente onde a crise nunca existiu e não existe, graças às oportunidades que ela oferece. Através da feira, as empresas vão além e multiplicam suas possibilidades de negócios. Com isso, a crise deixa de existir.

Então a Expodeps é uma boa oportunidade para driblar a crise?
Num período de crise tudo o que o empresário não pode fazer é ficar inerte. Ele tem mais é que acelerar seu trabalho de mar keting para gerar negócios e a feira propicia isso em apenas dois dias e de uma maneira bem eficaz. Dois mil empresários circulam pela feira num ambiente onde estão outras 80 empresas. Essa combinação só pode render bons negócios.

De que forma a feira incentiva os negócios?
É óbvio que a crise afeta todo o mercado, mas nem todos os segmentos. Nesse momento as empresas de serviços são as mais prósperas e atuantes. Tanto o comércio e a indústria precisam dos serviços prestados por essas empresas para incrementar seu negócio. A Expodeps encurta o caminho entre elas, colocando uma em contato com a outra. O empresário sabe da importância de ter bons fornecedores de serviços.

A Expodeps tem conseguido fidelizar expositores e visitantes?
A demanda por essa feira não é de agora. É uma demanda antiga. Há 10 anos a gente já percebia que havia demanda para um evento desse porte e de lá para cá só tem crescido, tanto em público como em expositores. A prova é que há expositores que começaram com um estande e hoje já dobraram o espaço.

Com o final do ano chegando, qual a expectativa que ronda as empresas e o comércio de Americana. O clima é de otimismo?
A expectativa de melhora vai também do desejo e da necessidade de melhorar. Além da Expodeps, a Acia tem uma série de outras ações que incentivam os empresários a fazer negócios e contribuem para melhorar o clima de otimismo entre eles. Os empresários que participam dessas ações potencializam em muito a possibilidade de ampliarem seus negócios.

E as vendas. Você aposta em alguma recuperação em dezembro?
Acredito que deverá haver crescimento, mas nada extraordinário. Estimo um índice entre 2% e 5% a mais nas vendas em relação ao ano passado. O consumo represado durante o ano em determinado momento vai ser extravasado e a expectativa é que seja agora, no final do ano, com os trabalhadores recebendo o 13º salário e o abono do PIS.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!