08 de março de 2021 Atualizado 13:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

ELEIÇÕES 2020

Chico Sardelli promete 750 vagas em creche em 100 dias

Candidato a prefeito pelo PV fala em comprar vagas em unidades particulares para atender a demanda

Por André Rossi

05 nov 2020 às 08:00 • Última atualização 05 nov 2020 às 08:01

Ex-deputado e candidato a prefeito de Americana, Chico Sardelli (PV) promete a oferta de 750 vagas para crianças em creche nos 100 primeiros dias de seu governo. O número é o mesmo apontado pela Secretaria de Educação como o atual déficit na cidade.

A proposta foi apresentada durante sabatina do Grupo Liberal nesta quarta-feira. A entrevista foi ao ar nas rádios Clube AM 580 e FM Gold 94.7 e nas páginas do LIBERAL no Facebook e no YouTube.

Para Chico, questão da educação no município é considerada urgente – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Segundo Chico, a ideia de seu plano de governo para a área da educação é ampliar a capacidade estrutural de creches municipais já existentes e construir novas unidades. Os bairros apontados como mais críticos são Mathiesen, Praia Azul e Jardim Boer.

“Como esses dois levam tempo [ampliação e construção], o que nós vamos trabalhar é na compra dessas vagas em creches particulares, filantrópicas, assistenciais. Onde geograficamente não tiver, incentivaremos a iniciativa privada para que ela possa fazer isso”, comentou Chico.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista, que pode ser assistida na íntegra no site do LIBERAL.

Na semana passada, o Ministério Público entrou com uma ação na qual afirma que o senhor se beneficiou ilegalmente de recursos obtidos por meio de caixa dois em 2013. A acusação tem como base a delação de um ex-executivo do Grupo CCR, dono da AutoBAn, que aponta que você teria recebido R$ 100 mil para pagamento de despesas eleitorais. Dentro desse processo, a Justiça determinou liminarmente o bloqueio de R$ 518 mil em bens do senhor. Você acha que isso pode afetar a opinião do eleitorado em relação a sua candidatura? 
Primeiro que me causa estranheza o momento. Isso vir a tona nesse momento, já que faz tempo que esse processo vem correndo através de uma delação  premiada que eu não conheço, não sei quem é. Não tive a oportunidade de ter recursos ilícitos na campanha. Pelo contrário.

Minhas contas sempre foram aprovadas e em momento algum usei recursos que não fossem de fonte lícita. O que me estranha é que dos presentes nesse processo o Ministério Público, eu nunca fui chamado, nunca soube dessa questão efetivamente, e agora, há dez dias das eleições, aparece. Lá tem outros políticos, inclusive da cidade de Americana, que não aconteceu nada.

Eu fui pinçado no meio, tiraram e estão aí atingindo com esse processo. De qualquer forma, eu estou tranquilo e vai ser ate bom que isso ocorra, que isso passe, para mostrar mais um vez a minha inocência. Nesse momento começam as fake news. Aliás, eu fui o candidato que mais vitórias teve [contra] nas fake news. Foram cinco vitórias retirando material e também multa financeira.

Eu só lamento a covardia de ser dessa forma como eles estão fazendo nesse momento. Eu posso me defender, sou ficha limpa. Minha candidatura está registrada sem problema, não corre risco absolutamente nenhum, e estou preparado, a hora que chamado for, para defender e explicar que não tenho absolutamente nada a ver com isso, e sim uma delação de alguém irresponsável que não me conhece. Eu não conheço, não sei quem é.

A delação foi apresentada pelo Maurício Vasconcelos, ex-presidente da AutoBAn. O delator está mentindo, candidato? 
A posição dele eu desconheço. Não recebi absolutamente nada, em nenhum momento ou condição. Eu nem fui candidato, é de 2012 isso. Nem fui candidato em 2012 para poder ter recebido uma quantia de dinheiro de alguém que não fosse lícita. Minha campanha só recebeu recursos lícitos e foi aprovada com louvor.

Na área da saúde, seu plano fala em implantar quatro unidades com atendimento 24h em regiões diversas. Quais seriam essas regiões candidatos, e qual o modelo de unidade de saúde que estamos falando?
Pronto-atendimento. Temos o Zanaga, com um pronto-atendimento. Queremos o segundo na região do Parque Gramado e Liberdade, Jardim da Paz, São Jerônimo, essa região. O terceiro, Cidade Jardim, Novo Mundo, Mathiesen, Lírios, São José e Praia Azul.

Andamos fazendo todos os estudos necessários. Cada posto desse funcionando com quatro médicos: pediatra, clínico geral, cardiologista e ginecologista. Eles estarão em todos os postos de pronto-atendimento dessas regiões. Isso tem custo de aproximadamente R$ 450 mil ao mês e teremos condição dentro da nossa administração.

Por que eu estou te dizendo isso? Porque dentro da nossa administração, nós teremos uma espinha dorsal do que vai ser o projeto verde para a cidade de Americana. Essa espinha dorsal é agua, saúde e desenvolvimento econômico. Por isso nós não mediremos esforços para que isso possa acontecer da melhor forma possível, com planejamento. Hoje, entendemos que para desafogar o hospital municipal, temos que ter postos funcionando 24 horas para poder, inclusive, a diminuir a demanda alta que tem o hospital.

Assim como outros candidatos, você promete a reativação do Hospital Infantil André Luiz, que foi fechado na gestão do atual prefeito. Até pela proximidade que você tem com essa administração, qual o entendimento da sua candidatura para cumprir essa promessa? Há condições, hoje, da prefeitura arcar com o custo operacional desse hospital?
O custo da implantação de um hospital não é nada barato. Nós estamos vendo, fazendo todos os estudos porque precisamos deixar bem claro que hoje existe o atendimento para crianças dentro do hospital municipal, também numa parceria com o Hospital São Francisco para UTI e todas as coisas mais necessárias.

Logicamente que eu, particularmente, gostaria de ver um modelo de hospital infantil. Agora, nós precisamos ver os custos de investimento. Está dentro da nossa plataforma, é aquilo que nós queremos, mais próximo, encostado, perto, ou numa ala dentro do hospital, com todas as modernidades possíveis e necessárias para termos um atendimento diferenciado para as nossas crianças.

Candidato do PV foi sabatinado pelos jornalistas do LIBERAL nesta quarta-feira no estúdio da FM Gold (94.7) – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Uma promessa recorrente dos candidatos a prefeito na área da educação é zerar a fila de vagas na creche. O seu plano fala em tornar isso realidade por meio de ampliações de unidades já existentes e em parcerias com o Programa Creche para Todos e entidades filantrópicas. Com um déficit oficial de mais de 700 vagas, em quanto tempo o senhor vislumbra o cumprimento dessa meta?
É uma questão imediata. 750 vagas nos próximos 100 dias do início da nossa administração, toda voltada para essa questão. O perfil da família americanense é de pai e mãe trabalhadores e nós temos essa necessidade. Tem alguns bairros, como Mathiesen, Praia Azul e Jardim Boer que tem uma maior procura.

Aliás, a creche do Jardim Boer, que hoje é o maior déficit de vaga em creches, foi um trabalho meu, que infelizmente o governador [João] Doria não concluiu e não inaugurou. São mais de 130 vagas ali.

O que nós queremos? Onde tiver a possibilidade de aumento na creche já existente, e a necessidade logística, nós fazemos esse aumento. Onde não tiver [creche], mas tiver terreno e logisticamente estar dentro das necessidades, a construção.

Como esses dois levam tempo, o que nós vamos trabalhar é na compra dessas vagas em creches particulares, filantrópicas, assistenciais. Onde geograficamente não tiver, incentivaremos a iniciativa privada para que ela possa fazer isso.

Ainda na educação, você fala em formalizar parcerias com a Google, para implantar a plataforma Google for Education. É um sinal de que o seu governo pretende reforçar o ensino à distância, até por conta dos efeitos da pandemia?
Nós queremos uma questão da alta tecnologia dentro do nosso governo. Hoje os caminhos tecnológicos encurtam muito mais a distância entre os problemas existentes.

A questão da parceria com a Google for Education existe para que nós consigamos dar uma condição melhor par as nossas crianças e estudantes. E também estudarmos a possibilidade de ensino à distancia, mas o objetivo do Google for Education é primeiro nós ligarmos através da tecnologia todos os nossos departamentos, e não será diferente na educação.

Na questão da água, seu plano elenca ações relacionadas à conclusão da nova captação, programa contínuo de trocas de redes, novos reservatórios, entre outras. Hoje, todas elas já estão no próprio repertório de argumentação da direção do DAE na defesa da gestão feita atualmente no governo Omar. Sua plataforma de governo para o DAE é a política da continuidade?
A população não pode pagar o preço da falta de água que nós estamos tendo. O Omar fez um trabalho incansável nesse sentido e é injusto que nós paremos. Vamos tomar pé de toda a situação e a continuidade da troca das tubulações, o aumento da captação do Rio Piracicaba será o nosso trabalho.

Outro trabalho muito importante é buscar o aumento da autorização de captação de água do Rio Piracicaba. Americana consome 1.250 litros por segundo e capta 1,050. Precisamos de uma outorga do DAEE, do sistema de controladoria de água no Estado de São Paulo, vamos trabalhar nesse sentido.

E o contínuo trabalho na troca dessas tubulações já existentes. Hoje nós temos tecnologias avançadas no mundo que dá possibilidade de uma descoberta mais rápida, principalmente na questão da perda de água durante o processo do DAE até as residências.  

Chico quer aumentar autorização de captação do Rio Piracicaba – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Uma das duas principais propostas no segmento de atrações para a cidade está na criação da “Rua 24 Horas”, com eventos, bares e restaurantes em um espaço que permita o funcionamento em horário estendido. Na sua visão, qual seria o espaço para isso?
Um espaço onde não trouxesse incômodo para a vizinhança. Hoje nós pensamos um pouquinho na revitalização total de Carioba.

Concomitante a isso, não necessariamente deva ser lá, mas entendo que é um local que atrapalharia menos a vizinhança. E aí temos as alternativas, com eventos, bares e restaurantes funcionando em horário estendido. A juventude teria uma segurança maior com assistência da própria Gama, e os familiares também. Aquele que quiser eventualmente frequentar, será de livre acesso.

O seu plano fala em criar políticas de atração de investimentos para instalação de centros comercias, cinemas e shoppings centers. A implantação de um shopping na cidade é algo antigo, que de tempos em tempos volta a pauta. O senhor acha que existe a possibilidade desse ser um assunto tratado dentro da sua administração, em quatro anos de mandato?
Nós podemos dar o início dentro dos quatro anos. Qual cidade não gostaria de ter um shopping? Hoje é uma questão de modernidade, de autoestima elevada. Nós temos condição de ter e através da secretaria de desenvolvimento econômico, vamos trabalhar na possibilidade de, numa parceria, poder trazer para Americana um centro comercial nesse sentido.

Tudo vai da vontade e dos caminhos. Quando vem uma empresa, um shopping, é feito pesquisas no local para poder entender se cabe ou não cabe.

Não é uma questão que dependa só da vontade do prefeito ou da prefeitura. Existem uma série de fatores que dependem dessa questão, mas nós não vamos medir esforços para que isso possa acontecer porque é um sonho também de todo o americanense.

Publicidade