Três projetos culturais da região são premiados

A iniciativa "Pontos de Cultura" oferece incentivo financeiro e kits de audiovisual e música aos grupos


Três projetos da RPT (Região do Polo Têxtil) estão entre os 144 que receberão R$ 60 mil da Secretaria de Cultura do Estado como premiação do “Pontos de Cultura”, programa que atende à Política Nacional Cultura Viva, do Ministério da Cultura. A iniciativa oferece incentivo financeiro e kits de audiovisual e música a grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural.

O resultado foi divulgado no último dia 28. Estão na lista dos que receberão recursos financeiros o projeto “Cultura Viva é Saber”, do Instituto Saber de Desenvolvimento Social e Educacional, de Sumaré; o “Comunidade Cura”, do Grupo de Apoio Nisfram, de Sumaré; e o “Fábrica das Artes é Ponto de Cultura”, da Associação Espaço Cultural Fábrica das Artes, de Americana.

Foto: Divulgação
Trabalho desenvolvido há 17 anos pela Associação Fábrica das Artes é reconhecido pela Secretaria de Estado da Cultura

“Sempre trabalhamos e nos sentimos como um verdadeiro ponto de cultura, afinal o que é um ponto de cultura, se não é fazer exatamente o que fazemos há mais de 17 anos? Nesse caso específico, vale o reconhecimento por que vem acompanhado de uma ajuda financeira muito bem-vinda”, celebra Carlos Justi, ator e um dos fundadores do Fábrica.

Ele destaca que 414 entidades jurídicas e 579 coletivos culturais (sem CNPJ) concorreram aos prêmios. “O edital previa que o proponente deveria elencar todas as atividades desenvolvidas pela instituição. A essas atividades seriam atribuídos pontos. O Fábrica obteve 91 pontos de um total de 100 possível. Portanto não foi um único projeto, mas o histórico de projetos e realizações do Fábrica nesses 17 anos de atividade que foi reconhecido como ponto de cultura”, destacou o fundador.

Ele afirma que os recursos serão utilizados em melhorias físicas e de equipamentos para dar aos usuários do espaço mais conforto e qualidade. “É possível que também destinamos algo para projetos culturais, mas isso será definido na reunião de planejamento”, acrescenta.

Outro premiado, o Instituto Saber é uma entidade sem fins lucrativos, fundada por um grupo de amigos em 10 de dezembro de 2006, para realizar trabalhos sociais voltados a crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. Entre as atividades de formação desenvolvidas estão oficina culturais e lúdicas.

Já a Nisfram é uma OSC (Organização da Sociedade Civil) sem fins lucrativos que atua desde 2001 aplicando projetos socioeducativos voltados ao desenvolvimento pessoal e cidadania, com atividades educacionais, culturais, artísticas, esportivas, de lazer e de formação profissional.

Após hiato de cinco anos, o “Pontos de Cultura” foi retomado em 2018. Além dos premiados com dinheiro e kits, foi divulgada uma lista de suplentes, que também receberam o reconhecimento. Da RPT, estão nesta lista a Casa de Joana, de Hortolândia; Tenda de Umbanda Caboclo Rompe Mato, de Americana; Escola de Capoeira Angola Resistência, de Sumaré; e Confraria do Conto, de Santa Bárbara d’Oeste.

“Espero que vejam o valor material e imaterial desse prêmio que recebem hoje. O valor material é a premiação. O valor imaterial é o mais significativo: o selo do reconhecimento do trabalho de vocês”, afirmou aos selecionados o secretário de Cultura do Estado, Romildo Campello, durante a premiação.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora