Teatro Municipal recebe espetáculo ‘Cabeleira Doida’

Espetáculo gratuito trabalha identidade a partir da relação de uma personagem com seu cabelo e o vasto mundo que ele a apresenta


Pensando identidade e inclusão a partir das diferentes formas, cores e tipos de cabelos, o espetáculo “Cabeleira Doida”, da companhia ParaladosanjoS, chega nesta terça-feira ao Teatro Municipal Lulu Benencase, em Americana, a partir das 13h30, com entrada gratuita.

No enredo, Nini tem um cabelo longo, encaracolado, embaraçado, louco e cheio de histórias: por entre suas madeixas vivem leões e piratas, há passeios de balões e subaquáticos, milhares de notas musicais e tantas outras fanfarras. Um universo mágico envolvente e cheio de aventuras, perigos e diversões.

Foto: Juliano Grego / Divulgação
Espetáculo da companhia ParaladosanjoS usa os diferentes tipos de cabelo como metáfora da diversidade

Tudo num emaranhado de cabelo, com caminhos desviantes e voltas embaraçadas. A obra pretende percorrer os labirintos existenciais de um(a) jovem e sua relação com o mundo à sua volta e com o mundo surreal escondido em sua cabeleira.

“Uma das camadas é de que o cabelo é uma identidade, uma extensão dos nossos pensamentos, da nossa imaginação, portanto, todos os tipos de cabelos são uma possibilidade de mundo, uma possibilidade de construção de si, inclusive os carecas, que às vezes eu brinco que é o cabelo invisível, que poderia ser qualquer tipo de cabelo. Então, a ideia é bem inclusiva e de que não há um padrão para um cabelo feliz, de que cada um vai descobrir quais são suas possibilidades com seu próprio cabelo”, explica a atriz Marilia Ennes.

O espetáculo é um solo dirigido e com trilha sonora assinados por Natalia Mallo. Premiado com o Edital PRoac 2018, ele é livremente inspirado nos livros “Meu Crespo é de Rainha”, de Bell Hooks, e “Cabelo Doido”, de Neil Gaiman. “Cabeleira Doida”. Trata-se de uma montagem baseada no teatro físico, visual e nas técnicas das danças aéreas.

Com leveza, o espetáculo traz questionamentos sobre autoimagem e estereótipos de beleza. Pondera sobre o cabelo como elemento identitário e faz um convite à reflexão sobre estas questões, utilizando também depoimentos reais de jovens de escolas variadas de Campinas com os quais foi trabalhada a questão da identidade a partir do cabelo.

“E, ao mesmo tempo, tem essa outra camada que é a do cabelo como uma expansão da nossa imaginação, então eu uso aparelhos de acrobacia aérea pensando muito nesse universo lúdico de um cabelo que é fantástico, que é aventureiro, que traz histórias e memórias”, acrescenta Marilia.

Estrutura

Os aparelhos, para além das danças aéreas, compõem também o cenário, convidando a diferentes visualidades e materialidades. A narrativa da cena é conduzida pela personagem através de passeios por diferentes níveis do palco e de técnicas de rapel e acrobacias. Emaranhados de elásticos, uma enorme espiral de ferro e uma cortina de mais de 500 metros de cordas de algodão criam mundos para suas aventuras.

Acontece: O espetáculo “Cabeleira Doida” será apresentado a partir das 13h30 desta terça-feira, no Teatro Municipal Lulu Benencase (Rua Gonçalves Dias, 696, Jardim Girassol, com entrada gratuita. É necessário retirar ingressos na bilheteria do local. Para mais informações: (19) 3408-4800 e (19) 3461-3045.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora