O clássico disco ‘Elis & Tom’ inspira novo musical

Elis Regina volta a ser tema de um musical. Depois de Elis - A Musical (2013), que consagrou Laila Garin…


Elis Regina volta a ser tema de um musical. Depois de Elis – A Musical (2013), que consagrou Laila Garin no papel principal, agora será a vez de Elis & Tom – O Musical, que estreia em junho, no Rio de Janeiro. Com produção da Aventura Entretenimento, que também criou o outro espetáculo, Elis agora será vivida por Lilian Menezes, que conhece muito bem o personagem: ela era a substituta direta de Laila e, quando esta adoeceu e ficou muitos dias fora de cena, Lilian assumiu com galhardia, arrancando aplausos e admiração pela sua interpretação.

Tom Jobim será interpretado por um veterano de musicais, Claudio Lins, que, curiosamente, no outro, interpretou César Camargo Mariano. Outros dois atores vão se desdobrar nos demais papéis, o que confere a Elis & Tom o contorno de um musical mais intimista e permite ao público acompanhar a trama de perto.

A história vai recontar a preparação e a gravação de Elis & Tom, disco icônico lançado em 17 de junho de 1974, portanto, há 45 anos, e cujas 14 faixas formam uma coleção de clássicos imbatíveis – basta lembrar de Só Tinha de Ser com Você, Modinha, Retrato em Branco e Preto e, claro, Águas de Março, entre outras.

A ideia do disco surgiu do desejo da Polygram, então gravadora de Elis, de presenteá-la por completar 10 anos (em 1974) como uma de suas estrelas – era uma prática da gravadora com seus contratados. A ideia de levá-la para Los Angeles, onde as faixas foram gravadas, também era uma forma de aliviar a barra para Elis que, por ter participado de uma cerimônia da Olimpíada do Exército em 1973, auge da ditadura militar, angariou críticas de parte da classe artística.

As gravações aconteceram entre 22 de fevereiro e 9 de março de 1974, no MGM Studios. Um período efervescente do ponto de vista criativo, mas também de embates de opiniões entre Elis, que queria instrumentos eletrônicos, e Tom, que rejeitava a ideia. No meio do caminho, César Camargo tentava conciliar.

O clima de tensão logo se dissolveu assim que Mariano fez o arranjo para Corcovado, a primeira canção a ficar pronta. Como 14 canções é um número pequeno para um musical, Elis & Tom será recheado com músicas do repertório dos dois grandes artistas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!