Espetáculo une música e circo na Fábrica das Artes

Cia Circo Caramba traz à cidade uma das primeiras apresentações de “A Estreia”


O palhaço Jerônimo é o protagonista da noite na 10ª edição do Festival Americana Mostra, nesta sexta-feira, às 20h, no Fábrica das Artes. A Cia Circo Caramba traz à cidade uma das primeiras apresentações de “A Estreia”.

Foto: Divulgação
Montagem resgata a velha tradição da palhaçaria no palco do Festival de teatro

Trata-se do terceiro espetáculo de repertório da companhia e o segundo solo de Thiago Sales. A montagem faz parte das comemorações dos 15 anos de trajetória do palhaço Jerônimo. Nesta produção, o artista dá continuidade a sua pesquisa que relaciona a figura do palhaço com a linguagem musical, uma das principais linhas de trabalho e investigação do Circo Caramba.

O espetáculo começa a partir do final do show da Banda Incrível Som. Os músicos já deixaram o palco e neste momento “entra em cena” Jerônimo, o funcionário da banda. A rotina se repete sempre da mesma forma: a banda se retira, o público vai embora e Jerônimo permanece ali, solitário, guardando os instrumentos e equipamentos.

Seria um verdadeiro tédio o trabalho deste palhaço se não fosse pelo fato de ele sempre aproveitar esse momento para ensaiar um show que sonha apresentar. Num certo dia, as coisas acontecem de forma um pouco diferente: a banda vai embora, mas o público fica – talvez aguardando por um improvável bis. Essa deve ser a oportunidade perfeita para que Jerônimo possa finalmente estrear seu sonhado show.

“Em nossa sociedade, desde crianças, somos incentivados a buscar a perfeição, a eficiência e o dito ‘sucesso’. O palhaço, expondo seu ridículo (que é o ridículo de todo ser humano) ou experimentando o fracasso (e levantando em seguida), é um escape nesse modelo cruel que nos é imposto e pode nos levar a sérias frustrações”, explica Thiago.

Para ele, rir de si mesmo é o melhor riso. “Quando alguém ri de um palhaço, está rindo de si mesmo, porque no fundo sabemos que somos falhos e imperfeitos”.

DIVERSIDADE. Com a plateia ao seu lado, o palhaço se torna a estrela daquele palco e inicia seu inesperado e eclético espetáculo, no qual cada número será uma homenagem a um gênero musical, indo do samba ao rock, passando por frevo, reggae, música clássica e até circense.

“Música e palhaçaria são linguagens muito potentes e juntas podem criar resultados incríveis, capazes de divertir e emocionar”, finaliza.

Acontece. O espetáculo “A Estreia” será apresentado às 20h desta sexta-feira no Fábrica das Artes, que fica localizado na Rua Dr. Cícero Jones, 146, Vila Rehder. A entrada é pelo ticket cultura – o público escolhe com quanto contribuir.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora