Espetáculo aborda momento crucial na vida de Kafka

Pedido de autor para que amigo destruísse seus escritos é abordado sob a luz da amizade leal; autor só ficou famoso após sua morte, em 1924


Em suas obras, o escritor Franz Kafka explorou as mórbidas esquinas das inatingíveis instâncias humanas. Com sarcasmo, moldou cenários que expõem a tênue linha que separa o real e o absurdo. Transpor isso para a linguagem cênica, portanto, não é um trabalho fácil, ainda mais se essa empreitada está focada em uma face menos conhecida do autor: a de um amigo leal e verdadeiro.

Tal mistura é explorada na peça “Um Beijo em Franz Kafka”, que será apresentada neste sábado e domingo, no Teatro Iguatemi Campinas.

Foto: Priscila Prade / Divulgação
Arte renegada: amigo era um dos poucos que considerava Kafka um gênio

A obra mostra um encontro fictício entre o artista (Mauricio Machado) e seu grande amigo, o também escritor Max Brod (Anderson Di Rizzi), dias antes de Kafka ser internado em um sanatório na Áustria.

Depois de discorrer um pouco sobre mulheres, família e literatura, o autor de clássicos como “O Processo” (1925) e “A Metamorfose” (1914) revela o verdadeiro motivo de sua visita: ele deseja que o amigo destrua toda a sua obra se ele morrer. Apesar de o encontro ser fictício, é baseado em uma carta real que o autor escreveu a Brod com a mesma solicitação.

Com a participação de um bailarino, Alex Merino, e música ao vivo, interpretada pelo músico Ricardo Pesce, a encenação é focada no embate entre os dois personagens e tem como conceito intervenções de signos da obra de Kafka, como a condição de impotência do indivíduo perante um poder que controla sua vida.

“Tremo da cabeça aos pés toda vez que dá o segundo sinal para vivê-lo. Sinto a presença dele [Kafka] e uma tremenda energia de felicidade e amor neste espetáculo, e isso se comprova nos aplausos finais”, confidencia Mauricio, acrescentando que nunca teve conhecimento de uma amizade tão devotada quanto a do escritor e Brod.

Para ele, o trabalho de anos de Eduardo para a direção do espetáculo gerou o resultado esperado na transmissão da estranheza estética comum às obras kafkanianas. “Está tudo ali na peça: o taciturno, o sombrio e todo o aspecto cheio de humor de Kafka, a alegria e sua intimidade solar, pouco difundida e sabida”.

Mas, no fim, a mensagem principal é mais otimista que aquelas que o personagem principal transmite com seus clássicos. “A insegurança é humana, o desejo também. A vocação e o medo que ela nos provoca idem. E uma bela amizade pode ser mais forte do que o amor afetivo. É sobre isso o espetáculo acima de tudo”, conclui.

Acontece: A peça “Um Beijo em Franz Kafka” será apresentada às 21h30 do sábado e às 19h do domingo, no Teatro Iguatemi Campinas, localizado na Avenida Iguatemi, 777, Vila Brandina. Os ingressos custam R$ 40 (meia) e R$ 80 (inteira) e podem ser comprados na bilheteria ou em www.ingressorapido.com.br.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!