31 de outubro de 2020 Atualizado 08:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Sempre alerta

Taís Araújo segue no ar na primeira temporada de “Aruanas”

Com “Amor de Mãe” paralisada, atriz viu a série, um projeto original Globoplay, estrear na tevê aberta em sequência

Por TV Press

30 jun 2020 às 11:53

Taís Araújo é uma acumuladora de projetos. No elenco de “Amor de Mãe”, a atriz saiu do ar repentinamente após o início do período de isolamento social para combater o avanço do novo coronavírus. Ela, no entanto, não ficou muito tempo longe do vídeo. Logo depois da paralisação das gravações da novela, Taís viu a série “Aruanas”, projeto original Globoplay, estrear na tevê aberta em sequência.

Não à toa, a atriz está acostumada a fazer malabarismo em sua agenda profissional.

Acostumada a uma rotina intensa e acelerada, Taís Araújo viu o ritmo reduzir drasticamente em virtude da quarentena – Foto: Divulgação

“Foram convites muito especiais. Primeiro porque o convite de ‘Amor de Mãe’ veio antes de ‘Aruanas’, que quando chegou, eu enlouqueci. E eles não iam se conjugar, eram até muito próximos no que diz respeito às gravações. Mas eu dei a sorte, digamos assim, de a novela adiar e começar o processo mais para a frente. Eu gosto de trabalhar. Eu amo trabalhar. É onde eu me encontro 100%. Tenho muito prazer em me sentir útil, realizar algo, seja em frente ou fora do vídeo”, valoriza a atriz, que vive a forte Vitória no “thriller” ambiental.

Além de “Aruanas”, Taís também assumiu o compromisso de comandar o “Popstar”, competição musical entre artistas. No ano passado, inclusive, ela conciliou o “reality” com as primeiras gravações da novela de Manuela Dias. A chance de estreitar seus laços com a apresentação deu o gás necessário para a atriz manter sua rotina acelerada.

“Já o ‘Popstar’, eu sabia que ia fazer junto com ‘Aruanas’ e ‘Amor de Mãe’, no ano seguinte. E eu batalhei para fazer porque eu amo estar naquele lugar de apresentadora, é muito divertido. Aprendo muito, me tira da zona de conforto. Eu não tenho grande experiência como apresentadora, como eu tenho como atriz. É um grande desafio e foram convites realmente muito especiais”, ressalta Taís, que está confirmada na segunda temporada de “Aruanas”, que ainda não tem data para retomar os trabalhos, que também foram paralisados em virtude do Covid-19.

O que mais chamou a sua atenção no projeto de “Aruanas”?

Taís Araújo
Fiquei atraída pelo tema e a qualidade do texto. O tema é de profunda importância, a gente sabe, mas é difícil as pessoas entenderem o quanto faz parte da nossa vida. E como o audiovisual é muito eficaz na comunicação, eu achei que os autores conseguiram, com a qualidade do texto, entreter e chamar a atenção para um assunto que é muito relevante.

Sua visão ambiental mudou após participar da série?

Taís
Com certeza. A minha relação com o meio ambiente mudou completamente. Ainda bem. Depois que você vive tudo aquilo, você acaba se conscientizando e entende que precisa partir para a ação, e que essa sua ação é, sim, determinante. Então sim, posso dizer que mudou completamente. A gente acha que tudo é renovável, como se o lixo fosse evaporar. A gente vive sem pensar nas consequências do quanto a gente desperdiça e gasta. “Aruanas” me trouxe não só a consciência, mas a necessidade de agir.

Como foi sua preparação para viver a Verônica?

Taís
A nossa preparação foi feita com a Amanda, nossa preparadora, e em grupo. Foi algo muito grande mesmo. Claro, buscamos referências em documentários do Greenpeace, conversamos e tivemos muitos contatos com ativistas, mas resolvemos fazer uma preparação de vivência e de grupo. Acho que, como elenco, foi esse o nosso diferencial.

Os componentes da ONG Aruana tinham realmente que ter uma intimidade e a gente só conquistaria isso com vivência. Ficamos fora de nossas casas por um tempo, sediados em São Paulo, vivendo intensamente as preparações.

Além de São Paulo, “Aruanas” também contou com gravações em Manaus. Como foi gravar no meio da Floresta Amazônica?

Taís
O mais complexo de gravar em Manaus foi o clima, porque é muito úmido e quente. Mas isso fazia parte, inclusive, da construção das nossas personagens. Manaus está absolutamente preparada para receber equipes de filmagem. Eles recebem equipes de todas as partes do mundo, há muito tempo. Então, no geral, foi tudo muito tranquilo.

Primeiramente a série foi disponibilizada no Globoplay. Qual a importância de “Aruanas” chegar à tevê aberta?

Taís
Sempre tivemos o sonho de que fosse para a tevê aberta, pela importância do tema e porque a gente acredita que esse tema diz respeito a todos nós. Não é apenas uma história de nicho. O meio ambiente diz respeito à continuação e à preservação da nossa espécie.

O audiovisual é muito poderoso. Ele vai no coração das pessoas. Uma série com um tema tão importante como esse, no audiovisual, pode atingir até mesmo aquelas pessoas que acham que preservação e Amazônia é muito longe e algo distante das nossas vidas.

Antes de “Aruanas” estrear na tevê, você estava no ar em “Amor de Mãe”. Como foi receber a notícia da paralisação dos trabalhos?

Taís
A decisão da parada foi muito acertada, mas estamos com saudade. Então, tenho certeza de que vamos voltar com mais gás ainda. Aconteceram tantas coisas nessa primeira fase de “Amor de Mãe”… e isso é maravilhoso. Acho que é o que faz com que as pessoas fiquem vidradas na trama.

Representatividade importa
Há 25 anos na tevê, Taís sabe que tem uma voz com alcance muito potente entre o público. Por isso mesmo, a atriz constantemente se posiciona sobre diversos assuntos de extrema importância na sociedade, como o feminismo, racismo e desigualdades sociais.

Em “Aruanas”, Taís teve a chance de trabalhar em um projeto que ecoava representatividade em vários setores. “A série tem muitos méritos nesse sentido. Na primeira temporada, tínhamos 47% da equipe composta por mulheres, e esse número sobe para 53% agora na segunda temporada. Até mesmo no elenco temos uma grande diversidade. Nós estamos falando de Amazônia, não faria sentido não ter atores de Manaus e de outras cidades locais”, explica.

Grande parte dos personagens da cidade fictícia de Cari, por exemplo, foram interpretados por atores amazonenses. E os indígenas foram representados por atores de etnias locais. Essa convivência foi importante para a construção do trabalho de Taís.

“Quando atuávamos com eles, nos passavam uma potência muito grande, porque eles têm algo que não temos: a vivência. Porque eu, como atriz, posso reproduzir alguma situação, mas, por melhor que eu seja, tem coisas que não posso dar porque não fazem parte do meu repertório, eu não vivi aquilo. Isso enriquece muito nosso trabalho e a série”, ressalta.

Instantâneas

  • Recentemente, Taís participou do clipe “Ombrim”, do cantor Projota, ao lado do marido, o ator Lázaro Ramos.
  • A atriz está cotada para substituir Camila Pitanga no comando do “Superbonita”, do GNT. Taís apresentou o programa entre os anos de 2006 e 2009.
  • Em 2000, Taís formou-se em Comunicação pela Universidade Estácio de Sá.

Publicidade