21 de janeiro de 2021 Atualizado 14:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cultura

Suspense marcado

Em “Desalma”, Nikolas Antunes explora uma atuação mais sombria em história repleta de mistérios

Por Márcio Maio / TV Press

20 nov 2020 às 10:52

Antes de ser escalado para interpretar o sombrio Roman Skavronski de “Desalma”, Nikolas Antunes tinha chamado a atenção na pele do ogro Simão de “Liberdade, Liberdade”, em 2016, e do boa praça Marcelo de “Espelho da Vida”, entre 2018 e 2019. Mesmo assim, quando procuravam, na emissora, um ator para o personagem masculino principal da nova série do Globoplay, demoraram a chegar a uma solução.

“Estavam com dificuldade de encontrar o perfil, estavam cogitando até atores europeus. Eu tinha terminado ‘Espelho da Vida’, veio o convite e casamos”, conta Nikolas.

Em “Desalma”, Nikolas divide a interpretação de Roman com Eduardo Borelli, que interpreta o personagem em 1988. Na história, o rapaz é bonito, atraente, sensual e provocador, mas vai embora de Brígida ainda jovem.

Em 2018, porém, ele já é um executivo de uma multinacional, pai de duas garotas, que se encontra abatido por conta de uma doença e aparece morto em uma cachoeira. “Não é fácil dizer quem é o Roman e muito menos o que ele pode virar. Roman sempre foi bem ambicioso e esse detalhe fez diferença”, destaca.

Em “Desalma”, Nikolas divide a interpretação de Roman com Eduardo Borelli, que interpreta o personagem em 1988 – Foto: Divulgação

Raio X de Nikolas Lessa Antunes

Nascimento: 25 de julho de 1982, em Recife, Pernambuco.

Atuação inesquecível: Simão, em “Liberdade, Liberdade”, exibida pela Globo em 2016.

Interpretação memorável: Javier Bardem, como Anton Chigurh em “Onde os Fracos Não Têm Vez”, filme de 2007, dirigido por Ethan Coen e Joel Coen.

Momento marcante na carreira: Contracenar com a Fernanda Montenegro, em “Doce de Mãe”, série da Globo, em 2014.

Com quem gostaria de contracenar: Irandhir Santos.

Se não fosse ator, seria: Cozinheiro.

Ator: Daniel Day-Lewis.

Atriz: Fernanda Montenegro.

Novela: “Paraíso Tropical”, escrita por Gilberto Braga e Ricardo Linhares, em 2007.

Vilão marcante: Coringa, interpretado por Joaquim Phoenix no longa “Coringa”, lançado no ano passado.

Personagem mais difícil de compor: Simão, de “Liberdade, Liberdade”.

Que novela gostaria que fosse reprisada: “Roque Santeiro”, escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva, entre 1985 e 1986, exibida pela Globo.

Que papel gostaria de representar: “Muitos”.

Filme: “Madame Satã”, filme de 2002, dirigido por Karim Aïnouz.

Mania: “De questionar”.

Um medo: “De não conseguir ajudar”.

Projeto: “Ser feliz”.

Publicidade