26 de setembro de 2020 Atualizado 21:48

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cultura

Sturm: Minha indicação para o Audiovisual sinaliza vontade de diálogo

Por Agência Estado

13 dez 2019 às 07:18 • Última atualização 13 dez 2019 às 10:50

Ex-secretário municipal de Cultura, André Sturm aceitou o convite feito por Roberto Alvim, secretário especial da Cultura, durante almoço da Fiesp, realizado ontem, em São Paulo. Ele assumirá a chefia da Secretaria do Audiovisual no lugar de Katiane Gouvêa, que foi exonerada do cargo na quarta-feira, 11. “André Sturm tem experiência comprovada por mais de 30 anos de carreira no audiovisual e conta com amplo apoio do setor. É um nome de conciliação, que marca o início de um novo momento de construção conjunta entre a Secretaria Especial da Cultura e o mercado audiovisual brasileiro”, afirmou o secretário Especial da Cultura, Roberto Alvim.

“Eu fui pego totalmente de surpresa. É claro que eu fico muito honrado com o convite, que vem em função da minha trajetória profissional. É um desafio. Hoje, o setor audiovisual tem uma distensão, um clima de muita disputa. E eu vou buscar pacificar o setor, buscar o diálogo. Sendo uma pessoa do audiovisual, minha indicação sinaliza a vontade do diálogo e de entendimento da Secretaria da Cultura e do governo com o setor”, destacou Sturm, em depoimento divulgado pela Secretaria Especial de Cultura.

Belas Artes

Nascido em Porto Alegre, André Sturm, de 53 anos, é cineasta, foi diretor do Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS) e mantém sua paixão de cuidar da programação dos cinemas do Petra Belas Artes. Em fevereiro deste ano, a Caixa Econômica Federal retirou o patrocínio do Belas Artes, administrado por ele. O espaço fechou em 2011 e reabriu em 2014. Sem uma empresa apoiadora, o cinema ficou novamente ameaçado de encerrar as atividades. Em maio, foi anunciado um acordo de cinco anos com a cervejaria Petra.

Sturm foi escolhido por João Doria, então prefeito de São Paulo, como secretário de Cultura da cidade. No início de sua gestão, foram anunciados o desmembramento da Virada Cultural, o cancelamento de um edital de dança e o fim do Clube do Choro. Ainda quando era secretário, ao menos três áudios gravados por funcionários e fornecedores obrigaram Sturm a dar explicações públicas.

Em janeiro deste ano, com Bruno Covas na prefeitura, ele foi substituído por Alê Youssef.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade