12 de maio de 2021 Atualizado 11:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Streaming

‘Roda de Fogo’ entra para o Globoplay

Novela de 1985 foi criada de forma coletiva e amparada pela força de seu elenco

Por Geraldo Bessa / TV Press

25 abr 2021 às 10:26

Experimentar formatos, lançar novos autores e oxigenar sua teledramaturgia já era uma ânsia da Globo nos anos 1980. E uma das grandes plataformas para descobrir novos talentos era a Casa de Criação Janete Clair, instituição fundada pelo viúvo da autora, Dias Gomes, em 1985. O primeiro projeto importante do espaço era criar uma novela no estilo clássico, mas que retratasse a conjuntura do Brasil em meados da década “perdida”.

Tarcísio Meira como o protagonista Renato Villar, e Bruna Lombardi no posto de mocinha como a íntegra juíza Lúcia Brandão – Foto: Divulgação

Com sinopse assinada pelo então desconhecido Marcílio Moraes, “Roda de Fogo” nasceu a partir do trabalho de sete integrantes e contou com a coordenação de Gomes. Por seu potencial, acabou sendo escalada por Daniel Filho, todo-poderoso da Globo no período, para a faixa das 20 horas.

No ano em que completa 35 anos de exibição, a novela agora passa a integrar o catálogo do Globoplay, como parte do projeto de resgate de tramas clássicas do acervo da emissora. “A premissa era simples: um poderoso empresário sem escrúpulos para se manter no topo descobre que está com os dias contados por conta de um aneurisma cerebral. Isso muda a dinâmica da trama e vai humanizando o protagonista. O pano de fundo foi o País decadente da pós-ditadura e em colapso econômico. O capitalismo selvagem foi um dos personagens principais da história”, resume Marcílio.

Para arrematar o roteiro da trama, a Globo chamou o experiente Lauro César Muniz. Acostumado a criar sagas protagonizadas por fortes tipos masculinos, o autor entrou no projeto sem muitos atritos com o que já havia sido escrito. E fez questão de dividir a autoria com Marcílio.

A assinatura de Muniz deu peso à produção, que ganhou direção geral de Dennis Carvalho e acabou por juntar um elenco igualmente relevante, com Tarcísio Meira como o protagonista Renato Villar, e Bruna Lombardi no posto de mocinha como a íntegra juíza Lúcia Brandão.

ENREDO

Na trama, após enviar dólares para o exterior e participar do assassinato de seu melhor amigo, Celso, de Paulo José, Renato descobre um dossiê de irregularidades em uma de suas firmas. Ele tenta resolver o problema com a ajuda de Mário, seu advogado de confiança interpretado por Cecil Thiré, mas acaba descobrindo que foi traído por todos da empresa.

Tendo de pagar por suas escolhas na Justiça, ele conhece Lúcia, juíza incorruptível designada para julgar seu caso. A tentativa de suborno acaba virando uma paixão avassaladora. No entanto, é a descoberta de um aneurisma inoperável no cérebro que provoca a grande reviravolta na vida do protagonista.

Ele muda seu comportamento agressivo, põe fim à relação desgastada com Carolina, de Renata Sorrah, passa a investir alto no crescimento de sua empresa dentro do País e planeja a eliminação dos “cabeças” de um esquema de lavagem e envio de dinheiro para paraísos fiscais.

Ambientada inicialmente em Brasília, a trama de cunho fortemente político se desenvolveu no Rio de Janeiro. Em 179 capítulos, “Roda de Fogo” foi ganhando a audiência aos poucos e teve muitos pontos de destaques a partir da força de um elenco formado por nomes como Eva Wilma, Ivan Cândido, Felipe Camargo, Cássio Gabus Mendes e Joana Fomm, entre outros. Capitaneado por Osmar Prado, o núcleo cômico formado por Claudia Alencar, Inês Galvão e Carla Daniel surpreendeu pela resposta do público ao abordar uma inusitada relação poliamorosa.

Publicidade