07 de março de 2021 Atualizado 11:58

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Prólogo da humanidade

Com produção grandiosa e elenco numeroso, “Gênesis” reúne grandes eventos bíblicos

Por Caroline Borges - Tv Press

17 jan 2021 às 10:52 • Última atualização 17 jan 2021 às 10:53

Após reproduzir enredos grandiosos como “Os Dez Mandamentos” e a vida de Jesus Cristo, a Record recontará o princípio de tudo, buscando uma ordem cronológica em suas sagas bíblicas. Em “Gênesis”, a trama criacionista apresenta os primeiros 2.300 anos da humanidade, retratando grandes eventos desse período.

Adão (Carlo Porto) e Eva (Juliana Boller) são os primeiros seres humanos criados por Deus – Foto: Divulgação_Record

Escrito por Emílio Boechat, Camilo Pellegrini, Raphaela Castro e Stephanie Ribeiro, o enredo que estreia terça, dia 19 será dividido em sete fases: “Criação”, “Dilúvio”, “Torre de Babel”, “Ur dos Caldeus”, “Abraão”, “Jacó” e “José”, sendo as duas últimas etapas ainda em pré-produção e escalação. “O maior desafio deste trabalho é a obra em si. Algo que nunca foi feito antes. São mais de 300 atores, sem contar a diversidade de locações que nos obriga a contar com uma boa ajuda da computação gráfica”, valoriza o diretor Edgar Miranda.

Os primeiros protagonistas da novela são Eva e Adão, interpretados por Carlo Porto e Juliana Boller. Após desobedecerem a única condição imposta por Deus, o casal antes inocente, que só desfrutara do bem, encara uma difícil jornada ao ser expulso do Jardim do Éden.

Logo depois, a trama engata na história de Noé, vivido por Bruno Guedes e Oscar Magrini. Ao acreditar que não há mais esperança para o mundo que criou, Deus anuncia a Noé que a única chance de salvar a humanidade é desfazer tudo o que existe e começar de novo através dele e seus filhos. Noé então recebe a instrução de Deus de construir uma arca grande e sólida o suficiente para suportar as águas do dilúvio que estão para cair sobre toda a Terra. Para Magrini, a sequência de quando a porta da Arca se fecha é uma das mais emocionantes da novela. “Nenhuma cena é fácil, porque tem de fazer o melhor de você. Mas, particularmente, a cena em que Deus fecha a Arca foi uma coisa emocionante. Eu me emociono de falar… A água vai enchendo aquele ‘Grand Canyon’ e a Arca começa a levantar”, afirma o ator.

Os descendentes de Noé encabeçam a terceira fase da produção. Ninrode, papel de Pablo Moraes, decide construir a Torre de Babel para chegar aos céus e não precisar ter de dar satisfação da sua vida a ninguém, inclusive a Deus.

GRAVAÇÕES
As gravações de “Gênesis” foram realizadas em diversas cidades do Brasil e no Marrocos, onde os trabalhos foram interrompidos por conta da pandemia do novo coronavírus. Com as dificuldades de retornar ao País, a equipe do diretor reproduziu alguns cenários na cidade cenográfica da trama.

Quem é quem/“Gênesis”

Criação
Adão (Carlo Porto) e Eva (Juliana Boller) são os primeiros seres humanos criados por Deus. Eles vivem no Jardim do Éden, onde tudo é farto e permitido. Exceto comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Porém, tudo muda quando eles desobedecem a ordem são expulsos do paraíso. Ao deixar ser enganada pela serpente, Eva acaba pagando um alto preço tanto no casamento quanto na vida dos filhos.

Dilúvio
Noé (Bruno Guedes/Oscar Magrini), um homem íntegro e reto, é escolhido por Deus para dar continuação a humanidade depois do dilúvio. É casado com Naamá (Rafaela Sampaio/Cássia Linhares). Ela, que é filha de Lameque (Jayme Periard), deixa o pai e a cidade para se casar com Noé. Lameque é descendente de Caim (Eduardo Speroni), homem violento que matava sem constrangimento algum, casado com duas mulheres. Noé terá de lidar com a rivalidade de Zeno (Leonardo Medeiros), líder da cidade de Enoque. Um homem corrupto que tenta de todas as formas tomar a Arca durante o dilúvio.

Torre de Babel
Ninrode (Pablo Moraes) é um exímio caçador, forte e destemido. Se torna poderoso na Terra e almeja engrandecer seu nome ao projetar uma cidade e uma torre que chegue aos céus. Ele lida como amor excessivo da mãe Semíramis (Francisca Queiroz). Ao sofrer nas mãos do marido Cuxe (Marcelo Galdino), ela transfere todo seu amor para o filho, colocando nele todas as suas expectativas. Liba (Pâmela Tomé) é a única que não demonstra admiração pelos grandes feitos de Ninrode. É exatamente essa atitude que desperta nele um grande interesse pela doce jovem.

Ur dos Caldeus
Terá (Ângelo Paes Leme/Júlio Braga) chega em Ur dos Caldeus cheio de sonhos, em busca de uma vida próspera para sua família. Ele é casado com Amat (Bianca Messina/Regina Sampaio), uma mulher de fé, apaixonada pelo marido. Grávida do primeiro filho, o apoia em sua decisão de se mudar para Ur dos Caldeus, mesmo desconfiada dos perigos que o lugar pode trazer aos princípios dos dois. Na região, o casal cruza o caminho de Nadi (Camila Rodrigues/Esther Góes). Sacerdotisa em Ur dos Caldeus, ela se encanta pela fidelidade que Terá tem para com a sua esposa e vive um conflito por saber que para tê-lo, terá de escolher entre seu coração e a sua devoção aos deuses.

Abraão
Abraão (Vítor Novello/Zécarlos Machado) vive o conflito de ter de dar continuidade à descendência de seu pai, mas é casado com uma mulher estéril. Apesar de muito amada pelo marido Abraão, Sara (Laryssa Ayres/Adriana Garambone) tem de lidar com a dor do desprezo das pessoas por ser incapaz de dar um herdeiro ao marido, numa sociedade onde o valor da mulher está na quantidade de filhos que gera. Abraão é tio de Ló (Emílio Orciollo Netto). Apegado ao tio, ele se casa com Ayla (Elisa Pinheiro). Apesar de casada com Ló e viver no abastado acampamento de Abraão, se sente frustrada por não ter moradia fixa. A oportunidade de realizar seu sonho aparece, mas junto vem o alto preço a pagar.

Publicidade